Ainda em busca de contratações para a temporada, o #Corinthians pode surpreender com um reforço ousado. Trata-se do meio-campo Mohammed Sissoko, francês de 31 anos de idade. Segundo informações do portal Uol, o atleta foi oferecido ao clube de Parque São Jorge por um empresário brasileiro.

A cúpula alvinegra ainda estuda a possibilidade de trazê-lo, já que trata-se de um jogador caro e veterano. Se a diretoria aprovar, a decisão passará ainda pela comissão técnica de Fábio Carille. Embora ninguém tenha confirmado tal possibilidade, o Corinthians procura jogadores com esse tipo de característica.

Sissoko, que também tem cidadania de Mali, é conhecido por se tratar de um meio-campista versátil.

Publicidade
Publicidade

Depois de iniciar a carreira como atacante, ele ganhou destaque no cenário europeu como meia. De uns anos pra cá, tornou-se volante de ofício e foi bastante elogiado pelos treinadores.

Acontece que Sissoko não vive lá um grande momento na carreira e no ano passado estava atuando no Pune City, da Índia. Até pegar condicionamento físico para atuar ao lado dos companheiros em alto nível demoraria. Por outro lado, a experiência do atleta fala mais alto e o fator "fôlego" não seria um problema. Sissoko somou passagens em grandes clubes como Auxerre (FRA), Liverpool (ING), Valencia (ESP), Paris Saint-Germain (FRA) e Juventus (ITA). Recentemente, também esteve na China, onde defendeu as cores do Shanghai Shenhua.

Outros reforços

Para 2017, o Corinthians continua avaliando o mercado da bola e as prioridades do momento são outros jogadores: Gabriel e Fellipe Bastos.

Publicidade

Na semana passada, o clube acertou com o volante Paulo Roberto, do Sport.

No setor de criação, o Timão corre contra o tempo e torce para conseguir acertar com Wagner, que joga pelo Tianjin Teda, da China. A boa notícia veio por conta do empresário do jogador, que declarou que aquele empecilho jurídico com os chineses pode ser resolvido nos próximos dias de uma maneira amigável. Deste modo, Wagner até abriria mão de uma quantia financeira. Ao mesmo, conseguiria retornar ao Brasil e evitaria problemas com a Fifa. #Reforços