No final da tarde desta quinta, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), através de seu site oficial, divulgou a tabela completa dos jogos da primeira fase da #Copa do Brasil de 2017. Buscando o seu segundo título na história do torneio e, por consequência, uma vaga na Taça Libertadores do ano que vem, o #Fluminense enfrentará o Globo, do Rio Grande do Norte, no próximo dia 15 de fevereiro, às 21h45 (de Brasília), na Arena das Dunas, em Natal, capital daquele estado.

Com as mudanças impostas pela CBF nessa temporada, o confronto será decidido em partida única. Devido à melhor colocação no ranking nacional, o Tricolor das Laranjeiras, para permanecer no certame, necessita somente de um empate.

Publicidade
Publicidade

O classificado enfrentará quem passar do duelo entre Sinop-MT e Salgueiro-PE, que se enfrentarão uma semana antes, no Mato Grosso. Nesse confronto, a vantagem é dos pernambucanos.

2007: festa tricolor em Santa Catarina

A única vez que o Fluminense sentiu o gosto de ser campeão da Copa do Brasil foi em 2007. Naquela ocasião, a equipe carioca, assim como nesse ano, tinha um grupo formado por jovens revelados nas categorias de base de Xerém, algumas revelações de outros clubes brasileiros e atletas com experiência no cenário do futebol tanto nacional quanto internacional, como Carlos Alberto, Rafael Moura e Alex Dias.

O caminho para a glória deu a impressão que não seria complicado. Na primeira fase, o Tricolor não teve qualquer dificuldade para eliminar a Adesg, do Acre. Foram duas vitórias: 2 a 1 em Rio Branco e uma goleada de 6 a 0 no Rio.

Publicidade

Na fase seguinte, o adversário foi o América-RN. Depois de bater a equipe potiguar, fora de casa, por 2 a 1, o Flu acabou sendo surpreendido e, em pleno Maracanã, acabou sendo derrotado pelo placar de 1 a 0. Por ter feito mais gols como visitante, mesmo com o tropeço, a equipe das Laranjeiras garantiu presença na terceira fase, onde encarou o Bahia.

Diante da equipe da Boa Terra, o Fluminense, mais uma vez, não obteve um bom resultado no Maracanã. Carlos Alberto até abriu o placar, mas Fábio Saci garantiu o empate de 1 a 1. Na Fonte Nova, porém, com gols de Cícero e Soares, os cariocas arrancaram o 2 a 2 suficiente para avançarem no torneio.

Veio as quartas de final e o Atlético-PR. Pela terceira vez seguida, o Fluminense tropeçou em casa: novo empate de 1 a 1. Foi então que surgiu um personagem fundamental para a equipe do Rio de Janeiro. Sem muitas oportunidades até aquele momento, Adriano Magrão entrou no segundo tempo da partida decisiva e, com um chute de direita, fez o Tricolor derrotar os paranaenses em plena Arena da Baixada por 1 a 0.

Publicidade

Nas semifinais, o adversário foi o Brasiliense. Contando com o apoio de sua torcida, o Fluminense saiu atrás, mas, dessa vez, saiu do Maracanã com uma vantagem de 4 a 2. Alex Dias, Thiago Silva, Adriano Magrão e Carlos Alberto fizera os gols do Tricolor. A vaga para a final veio após um empate de 1 a 1 no Serejão, em Brasília. Mais uma vez, Adriano Magrão balançou as redes para o time carioca.

O "primeiro tempo" da decisão não foi o ideal. Mesmo tendo mais de 70 mil a seu favor no Maracanã, o Fluminense foi surpreendido pelo Figueirense, que saiu vencendo com um belo gol de Henrique. No último lance, porém, novamente Adriano Magrão, escorando passe de Thiago Neves, empatou a partida, minimizando o tropeço.

No dia 06 de junho de 2007, o Tricolor foi ao Orlando Scarpelli, em Florianópolis, precisando vencer para ficar com o título e, logo no primeiro minuto, depois de um escanteio cobrado por Júnior César e uma rebatida da zaga, a bola ficou com Adriano Magrão. Dando uma de garçom, o centroavante cruzou para Roger. Substituindo Luiz Alberto, punido com o terceiro cartão amarelo, o ex-lateral do Grêmio que, na época, já atuava como zagueiro, dominou no peito antes de, com o pé direito, estufar as redes.

A partir daí, o Flu soube suportar a pressão catarinense para, depois de 23 anos de espera, soltar o grito de campeão". O último havia sido o Campeonato Brasileiro de 1984. #PaixãoPorFutebol