Muitos afirmam que ele é o melhor técnico do mundo. Com trabalhos exuberantes no Barcelona e Bayern de Munique, Pep #Guardiola quebrou recordes e trouxe diversas inovações táticas ao futebol do século 21. Seu sucesso foi tanto, que as seleções espanhola e alemã incrementaram vários de seus aspectos de jogo e se tornaram referências mundiais.

Entretanto, sempre foi posto à prova pelas imprensas mundiais. Sempre argumentando que seus times já vinham prontos e galácticos, a mídia vem pondo em xeque a eficiência real do trabalho do técnico catalão. Ao acertar sua transferência ao Manchester City, da Inglaterra, o desafio, por parte de Guardiola, parece ter sido aceito.

Publicidade
Publicidade

E, até agora, para surpresa de seus adeptos, a imprensa parecia estar certa.

Quando aceitou a proposta, o técnico catalão sabia que a #premier league era a liga mais disputada do mundo, sem polarização e disparidade e com os times médios dando muito trabalho aos grandes. Sabia também que o #Manchester City não possuía um elenco fantástico. Como era esperado, o time tem sofrido para ganhar dos médios e não têm levado sorte contra os grandes; se o ataque vai bem, a defesa não é das melhores (41 gols pró e 22 contra). Isso sem falar na classificação apertada na Liga dos Campeões, com apenas 2 vitórias e 10 gols sofridos em 6 jogos.

Também deveria saber que, mesmo com a ilustre presença de seu rival de longa data, José Mourinho, quem tem mandado por lá é Jurgen Klopp, Mauricio Pochettino, Claudio Ranieri e, principalmente, Antonio Conte.

Publicidade

Este último, por sinal, vem fazendo um trabalho impecável no Chelsea, com 13 vitórias seguidas. Mas o que todos têm em comum? Diferente de Guardiola, todos dão privilégio à marcação, verticalizando ainda mais o futebol inglês. Seus times são considerados modernos, com alto poder defensivo e transições rápidas e intensas ao ataque. Ou seja, todos eles representam uma tendência a ser seguida.

Ou seja, isso significa que se Guardiola não enxergar o futebol além do extinto tiki-taka, não deixar um pouco a arrogância de lado e não se atualizar, sua genialidade estará comprometida ou, pior ainda: pode ser que, de fato, caia sua máscara. A Premier League que o diga.