Depois de longas semanas entre especulações, negociações, exames e outros fatores burocráticos, enfim, o volante Felipe Melo foi oficialmente anunciado pelo #Palmeiras como o sexto reforço para a temporada 2017.

Aos 33 anos e atuando fora do país há 12 anos, o brasileiro chega para aprimorar o meio campo palmeirense e, claro, contribuir com sua experiência para conquistas importantes no ano como a Copa Libertadores da América e o Mundial de Clubes da Fifa.

Durante a semana, a notícia de que o jogador viria apenas por empréstimo de seis meses, inicialmente, para depois ser contratado em definitivo junto ao Internazionale, caiu como um balde de água fria sobre as cabeças dos torcedores palmeirenses, mas o desfecho aconteceu da melhor forma para o Verdão e para Felipe Melo: será respeitado, sim, o período de seis meses - até o fim do vínculo do atleta com o time italiano - por empréstimo, mas será celebrado um contrato de três anos, como anunciado em dezembro.

Publicidade
Publicidade

Vindo de Paraty, no Rio de Janeiro, onde passou as festas de fim de ano, o titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da África, em 2010, desembarcou em São Paulo na terça-feira para a realização de exames médicos e para tratar dos últimos detalhes de seu contrato com a esquadra alviverde.

Agradecendo a Deus e dizendo-se extremamente realizado, Felipe Melo disse que voltar ao seu país é um sonho conquistado e que vestir o mando palmeirense é uma honra, enaltecendo a grandeza do time paulista, útimo campeão brasileiro.

Sondado por Flamengo, time que o revelou, e São Paulo, o atleta recebeu as melhores ofertas e fechou um acordo salarial com a diretoria do Palmeiras que não perdeu tempo evitando, assim, perder a peça fundamental para os adversários.

No Brasil, além do Flamengo e Cruzeiro, clubes em que disputou a Copa Libertadores da América, Felipe Melo também vestiu as cores do time do Grêmio antes de ser transferido para a Espanha onde atuou pelo Mallorca, Racing Santander e Almería.

Publicidade

Ele também jogou na Turquia pelo Galatasaray e defendeu as camisas italianas da Fiorentina, Juventus e, por último, da Inter de Milão.

Fora dos planos do técnico Stefano Pioli, tendo disputado apenas 10 partidas na temporada passada, o atleta é a sexta contratação feita pelo Palmeiras para um projeto ambicioso de muito trabalho e conquistas em 2017. Para especialistas no meio, o time que o clube manteve e vem reforçando para a esta temporada depois das contratações de Michel Bastos, que deixou o São Paulo; Keno, ex-Santa Cruz; Alejandro Guerra, que chegou da Colômbia após sair do Atlético Nacional; e de Hyoran, da Chapecoense, e Raphael Veiga, do Coritiba; tem força comparável ao famigerado Drem Team (time dos sonhos) da década de 90 na era Parmalat. Hoje, o Palmeiras é a Máquina Verde e será muito difícil para qualquer adversário, principalmente brasileiro, vencê-lo. #Mercado da bola #PaixãoPorFutebol