A “nova” #FIFA presidida por Gianni Infantino roubou a cena no noticiário esportivo brasileiro nesta quinta-feira por uma decisão polêmica, que afeta páginas bonitas da história de grandes clubes do país. Em um comunicado emitido ao jornal Estado de São Paulo, a entidade que rege o futebol #Mundial se posicionou oficialmente sobre os antigos campeões mundiais e disse que só reconhece o campeão do torneio inaugural de 2000 e todos os vencedores pós-2005, ano de estreia do formato que dura até hoje.

Desta forma, os campeões da Copa Rio e da Copa Intercontinental, que colocava frente a frente os campeões sul-americanos e europeus em jogo único no final do ano, durante as décadas de 60 e 90, não são mais reconhecidos como “campeões mundiais” pela Fifa.

Publicidade
Publicidade

Perdem a chancela clubes como Palmeiras, Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo – este último também venceu no formato atual, em 2005.

“A Fifa segue valorizando as iniciativas feitas ao longo da história para se estabelecer um campeão mundial”, escreveu a entidade ao periódico paulista. No entanto, ressalta que só são reconhecidos como campeões os times que venceram o torneio mundial regido pela própria entidade.

A nova interpretação atinge diretamente o Palmeiras, que em tese seria o primeiro time brasileiro campeão do mundo, em decorrência da conquista da antiga Copa Rio, no ano de 1951. Na sequência, o Santos sagrou-se bicampeão do mesmo torneio em 1962 e 1963. Flamengo, em 1981, Grêmio, em 1983 e São Paulo, 1992 e 1993, que venceram a Copa Intercontinental também “deixam” de ser campeões do mundo.

Publicidade

São Paulo e Palmeiras, até o fechamento desta edição, não haviam se pronunciado sobre o tema de forma pública. O Grêmio, através do seu presidente Romildo Bolzan Jr, questionou a nova decisão da Fifa.

“Não nos retira o título em nada. Era a final que existia naquela época, sempre foi encarada como um mundial, apenas não tinha o patrocínio da Fifa. Mas isso não faz diferença nenhuma. Isso não vai mudar em nada o sentimento da torcida gremista”, disse Bolzan, que viu o seu Grêmio fazer 2x1 no Hamburgo, com um show de Renato Gaúcho, em 1983, na conquista da Copa Intercontinental.

O Flamengo, que venceu a mesma competição dois anos antes do time gaúcho, deu de ombros para a nova postura da Fifa. Os rubro-negros seguem se considerando os legítimos campeões do mundial de 1981.

“Não muda nada para nós o comunicado da Fifa. O Flamengo segue sendo campeão mundial de 1981”, resumiu o clube da Gávea.

O Santos, por sua vez, lembrou que não recebeu nenhum comunicado da entidade informando sobre os critérios usados na nova decisão.

Publicidade

E lembrou que as competições daquela época tinham a mesma relevância para o cenário do futebol mundial.

Na ponta do lápis, os únicos clubes brasileiros campeões mundiais reconhecidos pela Fifa são o Corinthians, que venceu o torneio inaugural em 2000, e depois em 2012, o São Paulo, vencedor em 2005 e o Inter, campeão em 2006. No novo formato do torneio, o único brasileiro vice-campeão foi o Santos, que acabou goleado pelo Barcelona de Messi em 2011.