Mesmo com os empecilhos que apareciam durante as negociações, o atacante Marinho ficou muito próximo de acertar com um clube brasileiro. O favorito na corrida pelo atacante e que chegou a ser destino do jogador foi o #Flamengo, que ainda tinha esperanças na reunião realizada nesta quinta-feira (5). No entanto, antes do encontro acontecer, Marinho pediu para realizar uma coletiva na sala de imprensa do clube baiano. "Agradeço o esforço que a nova diretoria fez para ficar comigo, mas a proposta que tive é surreal para o Brasil", disse o atleta.

Logo após o anúncio, dirigentes do Flamengo disseram que estavam retirando o clube das negociações, deixando o caminho livre para Marinho assinar com o exterior.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o próprio Marinho não esperava (ou não sabia) que o Vitória só irá liberar o atleta com uma proposta que pague o valor da multa rescisória, que é de R$ 17 milhões.

Já no final desta tarde, o diretor do Vitória, Sinval Vieira, fez duas revelações: que a proposta é da China, como já diziam as especulações, e o rubro-negro baiano não aceitou pela segunda vez consecutiva a proposta desse clube chinês. Vieira também comentou que por causa da atitude do atacante, o Vitória não tem mais interesse em renovar com o jogador, como iria tentar. O planejamento do clube era apresentar uma renovação de contrato para Marinho com aumento salarial.

O depoimento de Vieira, inclusive, vai contra o que o clube disse após a coletiva de imprensa de Marinho. Na manhã de quinta, uma publicação foi postada no site dos baianos, dizendo que o clube não desistira do atacante.

Publicidade

Sendo assim, a reunião pela tarde deve ter decretado a atitude do clube.

Por que o Vitória não aceitou a proposta do Flamengo?

Nos bastidores de ambos os clubes corre a informação de que por não ter o dinheiro da multa, o Flamengo queria envolver jogadores na negociação com o Vitória. Um deles seria o atacante Paulinho, que interessa ao clube baiano. O clube baiano não aceita esse tipo de negociação porque apenas 50% dos direitos de venda pertencem ao Vitória. Outros 30% pertencem ao Cruzeiro e 20% pertencem à agência do empresário de Marinho.

Essa novela não deve acabar tão cedo. #Mercado da bola #FutebolBrasileiro