O Benfica decidiu avançar com um processo na Liga portuguesa contra o Sporting por causa das polêmicas envolvendo os jogadores Geraldes e Gauld do Vitória de Setúbal que, na opinião benfiquista, representa uma quebra grave dos regulamentos. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, o Benfica considera que o ponto 5 do artigo 78 do regulamento para os clubes portugueses foi quebrado pelo rival, quando obrigou os seus dois jogadores cedidos de retornarem imediatamente para o Sporting, quando eles ainda tinham contrato válido com o Vitória de Setúbal até ao final da temporada.

Depois de uma derrota inesperada contra o Setúbal na Taça de Portugal, uma das poucas competições que o Sporting ainda tinha algum tipo de hipótese de ganhar na presente época, o clube, na voz do Presidente Bruno de Carvalho, decidiu “rasgar” o contrato que tinha com o Vitória de Setúbal por causa da cedência dos jogadores André Geraldes e Ryan Gauld, que acabaram sendo decisivos no jogo que causou toda essa polêmica.

Publicidade
Publicidade

Contudo, na opinião do Benfica, o Sporting não podia ter feito uma coisa dessas, visto que o rival tinha de cumprir com o contrato que tinha assinado e não agir como forma de vingança pela derrota que sofreu. Como garante o site “Notícias ao Minuto”, os regulamentos garantem que não é aceitável um clube, depois de ceder um dos seus jogadores por uma temporada, decidia rasgar esse mesmo contrato sem a autorização do outro time, exatamente o que aconteceu nesses dois casos.

Nas redes sociais, os detalhes desse artigo no regulamento oficial da Liga, bem como o processo avançado pelo Benfica, está chocando muitos sócios sportinguistas, que temem que o seu time possa ser duramente castigado pelo Conselho Disciplinar, caso se prove mesmo que os regulamentos não foram cumpridos e que o Setúbal acabou sendo muito prejudicado.

Publicidade

De relembrar que há poucos anos, o FC Porto perdeu oito pontos por ter sido provado algumas ilegalidades nos regulamentos, alegadamente relacionadas com corrupção no futebol português. #Negócios #Futebol Internacional