As negociações do #Corinthians com Didier Drogba parecem estar evoluindo. O presidente do Timão falou diretamente com o craque marfinense por telefone com a ajuda de um tradutor.

Na conversa não foi falado sobre valores, o que dá a entender que Drogba aceitou os 380 mil mensais oferecidos pelo clube na negociação. No entanto Drogba ainda não deu seu veredito ao presidente Roberto de Andrade na ligação.

Drogba estava inseguro sobre a negociação por não ter sido procurado por ninguém da comissão técnica do Corinthians ou da direção, apenas intermediários tinham conduzido até então.

Na conversa com Roberto de Andrade pelo telefone, o atacante marfinense disse que precisa ouvir a opinião de sua família, já que para a família de Didier será uma mudança muito grande em suas vidas vir ao Brasil.

Publicidade
Publicidade

Por isso Drogba pediu ao presidente corintiano que aguardasse até o final de semana e disse que após ouvir a família daria uma resposta definitiva ao clube.

Didier disse também ter recebido boas referências do clube do seu amigo Kazim, que hoje atua pelo alvinegro, com quem também falou na ligação.

Com uma possível chegada de Didier Drogba no Corinthians, o marketing do clube planeja gerar uma grande receita para o clube com ações de marketing com o atleta. Um site espanhol inclusive já cravou Drogba no Corinthians.

Outro nome de peso que tem sido muito citado no noticiário esportivo do Corinthians é o meia Jadson, que deve ser anunciado pelo clube ainda esta semana. Como já havia informado em outra matéria, o jogador de 33 anos está acertado com o clube desde dezembro.

Com a possibilidade de rescisão de contrato de Jadson com o Tianjin Quanjian da China, a diretoria se movimentou rapidamente e acertou um acordo com o jogador que também tinha interesse em retornar ao Timão.

Publicidade

O atleta só não foi anunciado ainda porque o empresário pediu à diretoria que aguardasse alguns dias para fazer o anúncio por conta da equipe chinesa. Como Jadson tinha contrato com o Tianjin Quanjian, a prioridade da diretoria chinesa era vender o jogador. Como "ninguém" se interessou, a diretoria teve que rescindir o contrato com Jadson para abrir espaço para estrangeiros no time e por este motivo pagou cerca de 18 milhões ao atleta e ao empresário referentes ao restante do contrato. #Mercado da bola #FutebolBrasileiro