#Ronaldinho Gaúcho está em negociações para jogar no clube Nacional, do Uruguai. O time entrou na disputa com o Coritiba e tentará levar o ex-jogador do Fluminense para o seu elenco e contar assim com um grande reforço para a disputa da próxima #Libertadores da América, um dos torneios de #Futebol mais importantes do mundo. O Nacional está no Grupo 7 da Libertadores, ao lado da Chapecoense. No entanto, o clube precisará encontrar meios de cumprir as exigências do jogador para se mudar para Montevidéu. Entre elas está nada menos que uma mansão.

Isso mesmo. Para jogar no Nacional Ronaldinho Gaúcho estaria exigindo uma mansão.

Publicidade
Publicidade

A informação veio a público através do jornal espanhol "El País", que publicou uma entrevista com o secretário-geral do clube, Heber Lambert. Para acertar a ida para o clube, o jogador também teria exigido segurança.

O responsável pelas negociações com o Nacional não é o jogador em si, mas seu empresário e irmão Roberto de Assis. Ele já teria se reunido com um representante do clube uruguaio para expor suas exigências, que parecem não ser poucas. A reunião teria acontecido na última quinta-feira, 12, e um novo encontro estaria programador para acontecer no fim de semana. Isso significa que as negociações podem avançar ou retroceder.

Embora absurdas, as exigências de Ronaldinho Gaúcho teriam as suas razões práticas. De acordo com Heber Lambert, a exigência de morar numa casa ampla e confortável não seria puro capricho do jogador de futebol, que começou sua carreira no Grêmio de Porto Alegre e ganhou o mundo por conta do seu talento e habilidade com a bola.

Publicidade

A fama de Ronaldinho geralmente o impede de sair e, por isso, ele precisa de uma casa grande, espaçosa. Geralmente ele treina e volta direto para casa, onde costuma reunir amigos e dar festas animadas. Além disso, o jogador também teria feito exigências em relação ao bairro onde iria morar caso fosse contratado pelo Nacional, mas não foram dados mais detalhes.

Na entrevista Heber Lambert revelou-se otimista em relação ao negócio. Mas o clube ainda não está nem perto de bater o martelo. Antes disso, o Nacional precisará encontrar meios para conseguir o dinheiro necessário para bancar a permanência do camisa 10 no plantel de 2017. Entre elas está a busca de novos patrocinadores para a equipe. O secretário-geral do Nacional também acredita que, com a simples chegada de Ronaldinho ao Nacional, a venda de camisas do time possa explodir. Isso, por si só, seria uma boa fonte de renda.

Mas nada está definido. A novela só está no começo. É preciso aguardar o desfecho nas próximas semanas.