Uma notícia estranha no futebol brasileiro: o técnico Marcelo Cabo, do Atlético Goianiense, está desaparecido desde às 3 horas de domingo (15). Segundo a assessoria do clube, câmeras registraram o treinador saindo de seu prédio, no Jardim Goiás, em Goiânia.

Na tarde do ultimo sábado (14), ele comandou o time diante do Gama, no primeiro amistoso da temporada, e perdeu por 1 a 0. Ele deveria comandar um treino nesta segunda-feira (16), mas não compareceu. O Atlético-GO procurou a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), por volta de 14h15 desta segunda-feira, para registrar o #desaparecimento de Marcelo. Equipes da Polícia Civil já foram acionadas e estão tentando localizar o treinador.

Publicidade
Publicidade

O treinador tem um “comportamento exemplar” e, por isso, faz com que dirigentes do Atlético-GO estejam bastante preocupados. O clube organizou uma coletiva de imprensa para divulgar o caso, junto do coronel Urzêda, da Polícia Militar de Goiás. Segundo o oficial, nada está descartado. "Ele é um cara que tem hábitos. Ou ele estava no Atlético-GO, ou na igreja, ou no apartamento. A vida dele é uma rotina certinha, por isso está nos estranhando muito. Ele não faz uso de drogas, não tem vida dupla. Esperamos que não tenha acontecido nada de ruim", disse o coronel. "Ele saiu no carro dele e, desde então, não temos mais informações. Estava sozinho, segundo imagens do circuito de segurança. A gente acha que ele saiu para ir a um local perto, porque deixou o telefone carregando, carteira lá", completou o militar.

Publicidade

Marcelo Cabo é do Rio e Janeiro e sua família já está a caminho de Goiânia. Ainda na coletiva, foi dito que o técnico saiu de seu apartamento sem carteira e celular, o que indica que ele iria a um lugar próximo. A polícia está checando junto à família do técnico se foi realizado algum saque em algum banco. O técnico não possui histórico de depressão, surtos ou sumiços.

O diretor de futebol do Atlético-GO, Adson Batista, esclareceu que estão todos aflitos e que tem feito contato direto com a família do técnico. Médicos do clube já foram ao IML e não encontraram nenhuma informação.

A polícia orienta que as pessoas que tenham alguma informação sobre o técnico telefonem na DEIC. O telefone é (62) 3201-1140. #2017