A notícia de que Lucas Pratto acertou com o São Paulo já movimentou o #Mercado da bola de quinta-feira, 9, no Brasil. No entanto, o #Palmeiras não quis ficar para trás e no mesmo dia realizou a contratação do atacante colombiano Miguel Borja, principal jogador do Atlético Nacional da Colômbia e destaque da Libertadores 2016.

Com as duas contratações, tanto #São Paulo quanto Palmeiras devem encerrar as suas movimentações. Os dois clubes paulistas são colocados, por comentaristas, como parte do grupos dos times que melhor contrataram no início dessa temporada.

Tire as suas conclusões

O São Paulo contratou os atacantes Wellington Nem, Neílton e agora Lucas Pratto, o meia Cícero e o goleiro Sidão.

Publicidade
Publicidade

O Tricolor ainda está fechando também com o volante Jucilei, que estava no Shandong Luneng, da China.

Já o Palmeiras aproveitou o mercado e trouxe jogadores como os meias Hyoran, Raphael Veiga, Michel Bastos e Guerra, outro destaque do Atlético Nacional da Colômbia, o volante Felipe Melo, que estava na Inter de Milão, o zagueiro Antônio Carlos e os atacantes William Bigode, Keno e agora Miguel Borja.

Pratto no São Paulo

O interesse do São Paulo em Lucas Pratto, do Atlético-MG, já existia, mas as negociações começaram apenas essa semana, após o tricolor paulista vender o jovem David Neres para o Ajax, da Holanda, ganhando mais de R$ 50 milhões na transação.

Os números da negociação ainda não foram confirmados. Mas as informações são de que o São Paulo dê R$ 26 milhões à vista para o Atlético-MG e parcele mais R$ 14 milhões.

Publicidade

O objetivo do Galo era o de vender Pratto nessa janela de transferências.

Borja no Palmeiras

A negociação de Palmeiras, Atlético Nacional e Miguel Borja é antiga. O alviverde paulista negociava com o atacante desde dezembro. Diversas vezes as negociações foram cortadas, dando a acreditar de que não sairia negócio. No entanto, após o fechamento do mercado europeu, o Palmeiras viu uma oportunidade para contar com Borja.

Os números da negociação também não são confirmados. Mas, acredita-se que o Palmeiras esteja desembolsando 10,5 milhões de dólares (mais de R$ 30 milhões) por 70% dos direitos do colombiano. Parte da quantia está sendo paga com ajuda da Crefisa, patrocinadora máster do alviverde.