O tão aguardado jogo entre Atlético-PR e Coritiba acabou não acontecendo na tarde deste domingo (19), e o motivo vem gerando muita #Polêmica. De acordo com um áudio obtido pelo site UOL, o 4º árbitro, Rafael Traci, revela que a partida não poderia ter início enquanto a transmissão pela internet estivesse sendo feita, já que não pertencia a quem tinha os direitos para transmitir o jogo.

A declaração desse árbitro é bem diferente da justificativa dada por Hélio Cury, presidente da Federação Paranaense de #Futebol, pois, segundo ele, o problema todo foi causado pelos profissionais que não estavam devidamente credenciados. E tem ainda a versão do juiz que, na transmissão pela internet, pouco antes do horário de início da partida, afirmou que a suspensão foi determinada por Hélio Cury.

Publicidade
Publicidade

Os dois clubes desistiram do jogo ao serem informados que não poderiam fazer a transmissão da partida pela internet em seus respectivos canais no YouTube. Atlético-PR e Coritiba não fecharam acordo com a Rede Globo e, por isso, seus jogos não estão sendo transmitidos pela emissora. Mas, os times contrataram uma produtora independente para que a transmissão fosse feita pelo YouTube, assim os torcedores que não fossem ao campo poderiam acompanhar.

As Organizações Globo já divulgaram uma nota lembrando que não tem contrato com esses dois clubes e, por isso, não tem como interferir na transmissão dos jogos. A nota da Globo ainda diz que os clubes é que são responsáveis pelos direitos dos jogos.

O presidente da FPF já disse que se o clássico for remarcado e todos os profissionais estiverem devidamente credenciados, a transmissão poderá ser feita pela internet sem problema, seja pelo YouTube e também pelo Facebook.

Publicidade

A atitude de Coritiba e Atlético-PR é algo inédito no futebol brasileiro e pode abrir portas para outros times que, insatisfeitos com a Globo, queiram transmitir seus jogos pela internet. É cada vez maior o número de pessoas conectadas e assistir transmissões ao vivo pelo YouTube e Facebook é algo cada vez mais comum entre os brasileiros e essas ferramentas trazem um novo cenário para o futebol de nosso país.

#FutebolBrasileiro