Dois grandes europeus se enfrentaram, neste sábado (25), pela 24ª roda do Campeonato Espanhol. O Barcelona de Messi garantiu a ponta da tabela provisoriamente vencendo o Atlético de Madrid por 2x1 em pleno Vicente Calderón, no qual provavelmente foi o ultimo duelo das duas equipes nesse estádio, pois o palco que proporcionou grandes jogos do Atlético contra, Real, Bayer e outros grandes da Europa, passará por reforma.

O clássico ficou empatado até os 19 do segundo tempo. Após um bate-rebate, o brasileiro Rafinha pegou o rebote de primeira e abriu o placar para o Barcelona.

A resposta veio logo em seguida com uma cabeçada certeira de Godín, que deu um leve desviou na bola para matar a defesa de Stegen, empatando a partida para o Atlético.

Publicidade
Publicidade

Aos 41 do segundo tempo o "cara" apareceu, aquele que estava sumido do jogo, mas que não foi eleito cinco vezes melhor do mundo não por acaso.

Após uma jogada em que Soares recebeu um passe de Untiti, ele tocou para #messi, que bateu em cima de Oblak, mas o goleiro deu o rebote em cima do argentino, que só teve o trabalho de colocar no fundo das redes e finalizar o jogo.

O grande duelo

A partida foi bem disputada em cada jogada, tanto coletivamente como no um contra um. Todos sabem que colocar um defensor para marcar #Neymar sempre é bastante complicado. Pois bem, no Calderón não foi diferente.

O brasileiro disputou a bola praticamente o jogo inteiro com Godín, isso mesmo o homem que marcou o gol do time de Simone. Foram vários empurrões, cotovelada e muita encarada entre os dois.

Em uma entrevista à TV espanhola, Godín falou que o camisa 11 do Barça precisava ter mais respeito com os adversários, isso porque o time catalão estava ganhando e no finalzinho da partida, Neymar Júnior tentou um chapéu no uruguaio, que, logo em seguida, deixou o brasileiro no chão.

Publicidade

A partir desse dia, o confronto entre eles é um show a parte.

Mas dessa vez o clássico ficou a favor do Barcelona, dando continuidade ao um tabu que não vem de agora.

Tabu

Diego Simeone completou 300 jogos como técnico do Atlético de Madrid, chegou a uma incrível marca de 521 gols marcados e apenas 221 sofridos, é uma media de 2,47 gols contra ou a favor por partida. Só que contra o Barcelona pelo Campeonato Espanhol traz consigo um tabu não muito desejável.

Com esse jogo, agora são 11 partidas, 3 empates e 8 derrotas. Para o lado de Messi, os números só favorecem. Com o gol marcado, foi a 27ª vez que o argentino fez contra o time madrilenho, fazendo dele agora, ao lado do Valência, sua principal vítima na Liga das Estrelas. #FC Barcelona