O Fluminense Football Clube vem mostrando que 2017 é seu ano. O time está fazendo uma majestosa campanha no Campeonato Carioca com a classificação em 1° lugar antecipadamente no grupo B.

Sua classificação foi assegurada com as vitórias sobre o Vasco da Gama por 3x0, Resende por 1x0, Portuguesa-RJ com placar 3x0 e sobre o Bangu com 4x0.

Esse resultado permitiu ao clube deixar para trás seu rival Vasco, que agora precisa vencer na última rodada para tentar ficar em 2° lugar no grupo e ir para as semifinais da taça Guanabara.

O #Fluminense vem mantendo seu aspecto positivo também na Copa do Brasil. A vitória de 5x2 sobre o Globo-RN garantiu ao clube uma vaga na próxima fase da disputa.

Publicidade
Publicidade

Scarpa ganha destaque com golaço

Gustavo #scarpa acertou um chute do meio de campo encobrindo o goleiro do Globo.

O gol teve grande repercussão nas redes sociais e outros meios de comunicação, pois, sequer nosso rei do futebol conseguiu realizar esse feito.

Torcedores pedem que gol seja indicado ao Puskas

Torcedores do tricolor das laranjeiras já pedem à Federação Internacional de futebol Associação (Fifa) que indique o gol de Scarpa para o prêmio #Puskas, que foi criado pela Fifa em 2009 visando homenagear o jogador responsável pelo gol mais bonito do ano, de acordo com alguns critérios estabelecidos.

Scarpa pode ser um dos candidatos pois seu gol, aparentemente, respeita todos os requisitos. O prêmio faz menção à Ferenc Puskas, jogador de destaque nos anos 50 e 60 com uma marca incrível de 512 gols em 528 partidas.

Publicidade

Lista de vencedores do prêmio Puskas possui dois brasileiros até o momento

A lista de vencedores do Prêmio Puskas conta com os brasileiros Neymar e Wendell Lira.

Neymar venceu o prêmio em 2011, com gol feito em cima do Flamengo. Na época o jogador ainda atuava no Santos.

Já Wendell Lira atuava pelo Atlético-GO e disputava em 2015 o Campeonato Goiano, quando marcou o gol que iria premiá-lo.

Pelé comenta gol

O Rei do Futebol, Pelé, quase fez um gol do meio de campo na Copa de 1970, no México.

Sobre Scarpa ele afirma: "Fez melhor que o professor".