A diretoria do Palmeiras ainda trabalha na chegada de um novo atacante. Por mais que Alexandre Mattos, executivo de #Futebol, tenha dito que o clube estava fora do #Mercado da bola, a renovação de contrato com a Crefisa/FAM trouxe um fôlego à mais para os cofres do Palestra Itália.

Em reunião na semana passada, #Palmeiras e Crefisa selaram um novo acordo que deve render mais de R$ 100 milhões anuais. Thiago Santos, Dudu e Guerra, por exemplo, já foram bancados pela parceira. Vitor Hugo também recebeu aporte para continuar vestindo a camisa Alviverde.

Segundo algumas rádios e veículos de imprensa da Colômbia, uma pessoa do Palmeiras se reunirá com o Atlético Nacional e com o empresário de Miguel Borja nesta segunda-feira.

Publicidade
Publicidade

O motivo da reunião é acertar de vez o negócio entre o Palmeiras e Borja. A negociação já dura há mais de três semanas e a possibilidade de concretizar aumentou consideravelmente depois que Guerra foi anunciado pelo Verdão. Guerra e Borja participaram ativamente do título da Libertadores conquistado pelo time colombiano.

Falta um 9?

O técnico Eduardo Baptista revelou logo após a vitória contra o Botafogo-RP, no Allianz Parque, neste domingo, que estava super satisfeito com os atacantes que o Palmeiras possui. Tchê Tchê foi o autor do gol, e o técnico entrou com Willian Bigode no comando do ataque. Depois da saída de Gabriel Jesus o time ficou órfão de um atleta de área e mais finalizador.

E o Barrios?

O paraguaio Lucas Barrios ainda se prepara fisicamente para poder enfrentar a temporada.

Publicidade

Autor do gol no amistoso contra a Ponte Preta há duas semanas, o atleta é alvo de críticas por boa parte da torcida. Desde que chegou Barrios não conseguiu a titularidade e nem conseguiu manter o desempenho que teve em outros clubes. Empresários do jogador até viajaram para o Paraguai para conversar com o Olímpia, mas o negócio não evoluiu.

Baptista ainda acredita que Barrios se encaixará no esquema tático palmeirense, mas na comissão técnica e na diretoria existem pessoas que não acreditam mais.