O time do Santos, indubitavelmente, é o que executa dentro de campo o que há de mais moderno no mundo quando tem a posse de bola. Saída em três, com filosofia bielsista, dois atacantes abertos para dar amplitude e profundidade no sistema defensivo adversário e dois laterais por dentro criando superioridade numérica entre as linhas. Esse é o Santos de Dorival Jr, porém, esta quarta-feira (15), na Vila Belmiro, encontrou um adversário que, apesar de estar em formação, demonstra uma capacidade organizacional que também está baseada no que de mais moderno está sendo produzido no mundo.

A equipe do #São Paulo foi até o Estádio Urbano Caldeira para tentar terminar com um tabu de quase oito anos sem vencer no território santista e conseguiu.

Publicidade
Publicidade

Diferentemente do que ocorreu no jogo anterior contra a Ponte Preta, em que mesmo saindo atrás do placar manteve o comportamento de colocar as linhas altas, com laterais abertos e aprofundando o campo de jogo incessantemente, o técnico #Rogério Ceni optou por mesclar as iniciativas ofensivas do tricolor paulista. Mesmo tomando um gol no início do jogo, mais uma vez, o comportamento do São Paulo foi o mesmo até o fim do jogo, e isso é fundamental para uma equipe que tem uma filosofia de jogo tão complexa e detalhada.

Resultado do excelente jogo coletivo do São Paulo foi a vitória tricolor por 1 a 3, incluindo o controle absoluto do jogo. Defensivamente e ofensivamente. Dentro da estratégia desenvolvida para esta partida, o tricolor do Morumbi soube entender que a variação nos comportamentos durante a partida seria fundamental para conseguir um resultado diferente dos últimos anos.

Publicidade

Contudo, sempre é importante ressaltar que é apenas o início do trabalho que requer tempo para automatizar o reações dos jogadores, e que enquanto o elenco não atingir o ápice fisiológico, inconstâncias serão mais frequentes, logo resultados como os de hoje podem não acontecer.

Na próxima partida, o São Paulo enfrenta o Mirassol, no Morumbi, às 19h30 pelo horário de Brasília, com perspectiva de casa cheia pela provável estreia de Lucas Pratto. #Paulistão