Com oito representantes, o Brasil volta a alimentar a esperança de reconquistar a Libertadores, principal torneio de clubes do continente. Desde 2013, o título não fica em solo brasileiro, quando o Atlético-MG apertou corações em uma campanha eletrizante com vários capítulos tensos.

Comandado pelo técnico Cuca, o Galo tinha nomes experientes e de muita qualidade como Ronaldinho Gaúcho, Diego Tardelli, Jô, Bernard e Réver. Mesmo assim, a conquista não veio sem doses de sofrimento. O Galo esteve perto de ser eliminado por Tijuana e Newell's, e só foi vencer o Olímpia nos pênaltis na grande final no Mineirão.

De lá para cá, o Brasil chegou a bater na trave algumas vezes, mas ficou de fora até das finais.

Publicidade
Publicidade

Em 2014, o San Lorenzo venceu sua primeira Libertadores ao bater o Nacional, do Paraguai. No caminho, o time do Papa deixou de fora times como Grêmio e Cruzeiro.

No ano seguinte, o Inter foi o brasileiro que mais chegou perto da conquista. Acabou perdendo para o Tigres, do México, na semifinal. Os mexicanos acabaram caindo diante do River Plate na final.

Já em 2016, foi a vez do São Paulo "namorar" com a conquista. Porém, a derrota por 2x0 no Morumbi no jogo de ida da semifinal contra o Atlético Nacional frustrou os planos. O campeão foi o próprio time da Colômbia. #Libertadores #Futebol