A #Chapecoense fará nesta quinta-feira (16), sua primeira partida em casa pela Taça Libertadores da América, quando recebe o Lanús, às 19h30, na Arena Condá, em Chapecó. Para marcar esse jogo histórico, o clube entrará em campo com uma terceira camisa, contendo várias homenagens ao elenco de 2016, quase todo vitimado no trágico acidente aéreo na Colômbia em novembro do ano passado. Os novos mantos foram apresentados pelos jogadores Jakson Follmann, Alan Ruschel e Neto, sobreviventes da tragédia.

Confeccionado pela #Umbro, o uniforme terá o verde escuro como sua cor predominante, mas com detalhes nas golas e mangas em tons mais claros de verde.

Publicidade
Publicidade

O manto terá como tema o agradecimento aos atletas responsáveis por classificar a Chape para a competição mais importante do continente.

O escudo da equipe é bordado diretamente na camisa e acima dele há uma estrela, em alusão ao título da Copa Sul-Americana, além de uma segunda estrela, dentro da letra F do escudo, para eternizar aqueles que deram a vida pelo clube. Uma etiqueta na barra da camisa contém a frase: “Chape na #Libertadores da América 2017. Obrigado, eternos guerreiros”.

Gerente da empresa de material esportivo que confecciona os uniformes da Chapecoense, Eduardo Dal Pogetto disse que os torcedores, não apenas os do clube, mas também os que passaram a simpatizar com ele e aguardavam com muita expectativa o momento da estreia no torneio. “Queremos fazer dos mantos para a Libertadores os símbolos da história recente do clube, com homenagens aos que se foram e celebrar o espírito fraterno do futebol”, disse.

Publicidade

Em busca da liderança isolada

Após vencer o Zulia por 2 a 1 na estreia, a Chapecoense tem a chance de disparar na liderança do grupo 7 das Libertadores. Isso porque nesta quarta-feira (15) o próprio Zulia venceu o Nacional por 1 a 0, que por sua vez vinha de vitória sobre o Lanús. Dessa forma, o time catarinense poderá abrir três pontos de vantagem para os segundos colocados e deixar a classificação bem encaminhada.

A única mudança com relação ao time que venceu na Venezuela será a entrada de Rossi no lugar de Arthur. O atacante nem sequer havia viajado por estar com varicela.