Na tarde deste último domingo (12), a grupo empresarial Góis e Silva, disse em nota que rescindirá do contrato com o clube Boa #Esporte, de Varginha, caso a equipe permaneça com a decisão de contratar o goleiro Bruno Fernandes. O atleta acabou de sair da prisão, depois que o Supremo Tribunal Federal (STF), revogou a decisão de que o goleiro deva responder ao seu processo preso. Ele está sendo acusado pela morte da ex-namorada Elisa Samudio, e pelo sequestro de seu filho Bruninho, em 2010. A sentença firmada em 2013 foi de vinte e dois anos e três meses de prisão em regime fechado, mas devido a um atraso da justiça em julgar o pedido de recurso da defesa, o ministro Marco Aurélio Mello, entendeu que o goleiro teria o direito de aguardar em liberdade a revisão da pena.

Publicidade
Publicidade

A soltura de Bruno trouxe uma grande repercussão nacional. Em uma entrevista, no mesmo dia em que deixou a casa de detenção em Nova Lima(MG), Bruno disse que estava pronto para recomeçar a sua vida, e que já tinha pagado pelo seu erro. Ele ainda salientou o seu desejo de voltar para o futebol ainda que sob protestos de vários clubes e do alarde da mídia. Foi então que o Boa Esporte, clube de Varginha (MG), que disputa a série B do campeonato brasileiro, decidiu dar essa ‘segunda’ chance ao atleta.

No entanto, a decisão da diretoria da equipe desagradou inúmeros patrocinadores que davam suporte ao clube. A primeira empresa a retirar seu apoio foi a Nutrends, que confirmou não apoiar a contratação de Bruno. Desde a última sexta-feira (10), a comissão técnica já havia conversado com o jogador e praticamente confirmada a contratação.

Publicidade

O contrato deverá ser assinado nesta próxima terça-feira (14). A notícia da compra do jogador revoltou os empresários do Grupo Góis e Silva, o principal patrocinador do clube, o que tem a quota maior de participação. O grupo já divulgou nas redes sociais uma nota dizendo que repudia qualquer tipo de violência contra a mulher, e que não irá apoiar de maneira alguma a contratação do goleiro, que ainda deve à justiça. A empresa ainda informou que conversará com a diretoria do clube para que ela desista da contratação do goleiro, se isso não for possível, infelizmente o grupo retirará seu apoio. O contrato entre as partes ainda tem duração de três anos, mas será rescindido. O clube já sofreu inúmeras represálias em suas páginas na internet, devido à decisão de trazer o goleiro para o time.

#Investigação Criminal