O Cruzeiro jogando em Alagoas teve dificuldades com o gramado do estádio do Murici e também com o time alagoano. No primeiro tempo, o Murici dominou a Raposa e não permitiu que o time de Minas com suas finalizações acertasse o gol dos alagoanos. O gramado com vários buracos espalhados foi um adversário e tanto para os mineiros como também para os alagoanos, que mesmo jogando suas partidas nesse estádio tinham dificuldades com domínio de bola e passe até de dois metros de distância.

Mas mesmo com todas as dificuldades, o Cruzeiro se aproximou de sua classificação na Copa do Brasil. Com gols de Manoel e Ábila, o time de Minas fez 2 a 0 em Alagoas e pode até perder de 1 a 0 no jogo da volta.

Publicidade
Publicidade

Espetáculo circense

Durante todo o jogo vimos jogadores dos dois times "furando" no domínio de bola e sendo derrubados pelos buracos que sempre estiveram "presentes" durante o jogo. O segundo árbitro foi até o técnico do Cruzeiro, Mano Menezes, para pedir que dividisse o aquecimento dos atletas em duas turmas, porque o espaço onde era permitido o exercício era pequeno.

O banco de reservas não cabia todos os atletas que se amontoaram na beirada do fosso. A comissão técnica no princípio estava em pé escorada no alambrado e muro do estádio acanhado do Murici. Depois apareceram cadeiras para eles sentarem. Que deprimente.

Os gols

O jogo estava caminhando para um empate sem emoções. O Murici jogava sempre procurando o ataque, mesmo sem muita inspiração. O mesmo acontecia com o Cruzeiro, que não conseguia armar uma jogada entre o meio campo e o ataque.

Publicidade

Em uma falta pela direita do ataque cruzeirense, Thiago Neves, que não conseguia acertar um passe durante o jogo, teve a incumbência de levantar a bola na área onde estavam os zagueiros cruzeirenses. Ele bateu a falta e Manoel se esticou todo para alcançar a bola de cabeça e colocá-la dentro do gol do Murici.

Um a zero para o time cruzeirense que só havia chegado ao gol alagoano em um chute de longa de distância de Thiago Neves defendida pelo goleiro do Murici. Já nos minutos finais quando o time alagoano já estava sem forças, Ariel Cabral deu um corte seco no lateral do Murici e tocou para Ábila, que trocou passes com Rafinha, recebeu na frente e decretou a vitória do Cruzeiro por 2 a 0.

Homenagem

O Cruzeiro fez uma bela homenagem ao Dia da Mulher, colocando em sua camisa de jogo, frases com palavras que denunciavam o tratamento de desigualdade que toda mulher vem recebendo. Boa homenagem. #A Lei do Amor #2016 #A Dona