O goleiro Bruno apresentou-se ao seu novo time, o Boa Esporte, nessa terça-feira (14), retornando, assim, ao #Futebol profissional. Depois de quase sete anos recluso, acusado do assassinato da ex-amante, Elisa Samúdio, ele pode finalmente respirar outros ares, e o que é melhor, os ares de um campo de futebol. Bruno assinou contrato, concedeu entrevista e aproveitou para correr pelo gramado, sendo aplaudido por uma pequena torcida. Ninguém queria relembrar o vergonhoso #Crime que o goleiro cometeu contra a mãe de seu filho, com exceção da imprensa. Todos ignoraram o fato dele ter sido condenado a 20 anos de cadeia em primeira instância pela brutalidade do ato.

Publicidade
Publicidade

Pouco à vontade, mas sem se recusar, a primeira coisa que Bruno fez ao chegar no hotel, em Varginha, onde o clube está hospedado, além de assinar o contrato de dois anos, foi atender a imprensa que insistia em saber mais do processo ainda em andamento. Questionado se seria um bom exemplo de pai que levaria o filho ao estádio de futebol, Bruno recusou-se a responder e ameaçou encerrar a conversa caso continuasse a girar em torno do processo. Dirigentes do clube também se negaram a falar do assunto.

Vestindo a camisa do novo clube, o goleiro deu pouca importância aos patrocinadores que cancelaram contrato ao saber de sua chegada. A debandada da Goi&Silva, Nutrends e Kanxa foi anunciada pelas redes sociais e o clube tentou minimizar o fiasco anunciando um novo acordo. Rone Moraes, presidente do Boa Esporte comentou que era uma situação já esperada, mas sua consciência está tranquila quanto a contratação de Bruno.

Publicidade

"É a prova que tem pessoa que tem sua filosofia de vida e outros que são igual a mim", encerrou o diretor.

O empresário do goleiro, Lucio Mauro, defendeu que ele seja tratado apenas como jogador de futebol e disparou: "Eu acho que ele merece uma oportunidade", afirmou Lucio que também não quis falar sobre o caso. O jogador deve estrear no Boa dentro de 30 ou 40 dias, na saída do clube falou com a imprensa; "O que eu preciso é de apoio. Se eu tiver o apoio da imprensa e do público, acabou". #assassinato