Emerson Sheik sempre foi um cara polêmico e de personalidade forte, nunca escondeu aquilo que pensava publicamente. Uma das coisas que sempre fez questão de dizer é o seu amor pelo #Flamengo, já foi até demitido do Fluminense por cantar uma música do rival dentro do ônibus do clube.

Mas, por incrível que pareça, o ex-jogador Edmundo, que foi companheiro dele no futebol asiático, desmentiu todo esse carinho que ele diz ter pelo Rubro-negro neste domingo (12).

''Posso garantir que ele é #Vasco. O sonho dele era voltar para o Brasil e jogar no Vasco, chegou a ser oferecido, mas os dirigentes da época disseram que não o conheciam.

Publicidade
Publicidade

Então, acertou com o Flamengo e apareceu para o cenário brasileiro. A história dele é a seguinte: foi jogador da base do São Paulo, dividia quarto com o Sandro Hiroshi, quando teve aquele caso do gato do Hiroshi, emprestaram o Emerson para um time japonês, pois acharam que ele também era gato. Por lá, ele foi artilheiro e estourou no futebol japonês. Joguei com ele no Japão, então eu sei da história toda. Claro que não vai dizer publicamente, porque pode perder a idolatria que construiu com os times que jogou'', explicou Edmundo no programa ''A Última Palavra'', da #Fox Sports.

No sábado (11), a mesma emissora levou ao ar uma entrevista com Emerson Sheik no ''Aqui com Benja''. Então, o assunto surgiu devido a esse bate-papo do atacante com o apresentador, no qual mais uma vez afirmou ser flamenguista na infância.

Publicidade

Mas um ponto que chamou atenção é o fato dele dizer que jogaria com a camisa do Vasco, com uma ressalva. ''Se me pedissem desculpas'', falou.

Desentendimento

Uma outra situação que não pode ser deixada de lado dessa relação são as discussões entre o Sheik e o presidente Eurico Miranda pela imprensa. Em diversos momentos, o Emerson provocou o Vasco.

Um exemplo deles foi em 2015, quando questionado sobre o Vasco ser o principal adversário do Flamengo. Ele debochou da pergunta. ''Quem é o maior rival? Eu não consigo ver ninguém tão grande como o Flamengo, a distância é enorme, né? Vou fazer o seguinte...vou para casa e vou pensar em alguém que se aproxima'', brincou.

Do outro lado, o cartola cruzmaltino não escutou calado a provocação e respondeu o atacante. ''Quem é Sheik? Eu não costumo falar sobre jogador, mas jogador que precisa mudar de nome, muita calma nessa hora. Qual entendimento que ele tem sobre isso? Faz um monte de merda. Eu vou dar papo para Sheik? As pessoas têm que entender que quando se refere a uma pessoa, tudo bem, mas se referir a uma instituição precisa lavar a boquinha. Estão muito longe da instituição'', disse.