Depois que saiu do #Vasco no ano passado, Jorginho revelou alguns problemas que teve quando dirigiu o cruz-maltino na Série B de 2016. Uma delas que é pública foi com o zagueiro Rodrigo, jogador que foi seu capitão e segue até hoje com a braçadeira. Quando questionado sobre o seu defensor, o antigo comandante do clube preferiu não falar sobre o atleta, dando a entender a rixa que havia tido com ele durante o período que trabalhou em São Januário. Esse assunto voltou a tona com o atual vice-presidente do Vasco, Eurico Brandão, em um participação no programa Jogando em Casa, do Esporte Interativo. Ele questiona o fato do Rodrigo continuar tendo esse papel de liderança dentro do grupo, mesmo com o treinador tendo problema com ele.

Publicidade
Publicidade

''O #Jorginho tomou um caminho ruim quando saiu do Vasco, tinha tudo para sair bem do clube, quando um profissional sai de algum trabalho, tem que botar um ponto final na relação, encerrar um ciclo. Não pode ficar remoendo, fazendo comentários. Ele fez um comentário sobre o Rodrigo, que jamais poderia ter feito, ele era o treinador do time, por que não tirou de capitão? Por que deixou até o último jogo? Se entendia que não representava bem como capitão, ele tinha essa função, ninguém impôs nada para ele. O Jorginho estava bem no Vasco, mas as coisas acabaram não funcionando bem, infelizmente. Tem que entender que as coisas podem não ocorrer como o esperado. Quando você sai de um lugar tentando justificar o desempenho ruim, atacando pessoas, ofendendo, não é uma coisa legal.

Publicidade

Espero que ele repense isso nos próximos trabalhos dele. A gente não costuma ver treinador saindo de time comentando de jogador, falando de dirigente, não é razoável. Não gostaria que tivesse sido assim, queria que ele seguisse a carreira bem'', comentou.

Continuando sobre a braçadeira, Euriquinho acredita que com todo esse estresse que rolou, o atual treinador deveria mudar o líder do time. ''Eu até achava que o Cristovão não deveria deixar ele de capitão, ficou extremamente exposto com essa situação que se criou na imprensa, essas conversas todas. Capitão do time sempre sofre desgaste a longo prazo, porque passa a ser o porta-voz em diversas situações, que acabam não se resolvendo'', explicou.

Roberto Dinamite

Outro personagem do clube que também entrou em pauta foi ex presidente e jogador do cruz-maltino, Roberto Dinamite. Segundo Euriquinho, ele atrapalhou tudo o que havia construído pelo Vasco, quando resolveu entrar para a política. ''O Roberto infelizmente manchou a trajetória como jogador e ídolo com a gestão que teve.

Publicidade

Não gosto de afirmar que ele participou de alguma coisa, no mínimo foi omisso em algumas situações temerárias para o clube'', disse.

Mas ao mesmo tempo, o VP de futebol lembrou dos tempos positivos que passou ao lado de Roberto. ''Eu convivi com ele quando tinha dois anos, quando era criança convivia muito com ele. Infelizmente tomou um caminho que não deu certo.'', falou.

Edmundo

Quem não passou desapercebido pelo papo foi o ex atacante Edmundo, a quem Euriquinho preferiu alertar. ''Eu acho que sofre influências negativas de algumas pessoas para tomar certas decisões. Amigos que querem usar a imagem dele para se promover, por isso entra em embate em algumas situações. Participei de duas contratações dele pelo Vasco, a vida toda tivemos boa relação, acreditamos que é ídolo e deveria ser tratado como tal. Mas quando se envolve na política, acaba agredindo e ofendendo pessoas, mas continuo acreditando que vai achar o caminho certo e não vai manchar sua imagem na instituição'', encerrou. #Eurico Miranda