Dez dias após um advogado matar a esposa e cometer suicídio, outra ocorrência dando conta de um casal morto, agora com uma criança também vitimada, chocou a cidade de São Paulo. Nesta segunda-feira (6), a polícia encontrou em um apartamento de classe média, na zona leste da capital, os corpos de Fábio Nunes, de 36 anos, de sua mulher Thaise Leocádio Ramos, de 33 anos, e o filho do casal, Pedro Luiz Nunes, de 5 anos.

Informações registradas no boletim de ocorrência, feito na no 29º Distrito Policial, relatam que ao sentirem forte cheio de odor vindo do apartamento, familiares acionaram o zelador do prédio. Após abrirem a porta, eles encontraram os corpos com ferimentos na cabeça, possivelmente provocados por arma de fogo.

Publicidade
Publicidade

O primeiro corpo a ser avistado foi o da mulher, que estava deitada no sofá com ferimento na cabeça, possivelmente causado por um tiro. A criança estava na cama do casal e apresentava hematomas, também na cabeça. Já o homem estava no chão da sala e era mais um com ferimento na cabeça. Ao seu lado estava um revólver.

O pai do homem contou que o filho sofria crise de depressão. Para a polícia, o caso trata-se de um duplo homicídio seguido de #Suicídio. A arma foi encaminhada para a perícia e já foi pedido um exame necroscópico e toxicológico das vítimas.

Segundo caso

Em menos de dez dias, este é o segundo caso semelhante que acontece na cidade de São Paulo. No último dia 25, sábado de Carnaval, o empresário João Alberto Ferrão, de 63 anos, matou com um tiro sua esposa, Renata Vieira de Souza Ferrão, de 50 anos, e depois se matou com um tiro na cabeça.

Publicidade

O homicídio, seguido de suicídio, aconteceu na cobertura do prédio onde o casal morava, no Itaim Bibi, um dos bairros mais nobres de São Paulo.

Executivo de uma grande rede de estacionamentos, Ferrão havia deixado uma carta com instruções de como administrar o negócio. Um amigo do casal disse que eles não demonstravam qualquer problema publicamente e que as mortes podem ter sido provocadas por conta do desgaste do relacionamento. #assassinato #Casos de polícia