O futebol acaba de perder nesta sexta (3) mais uma estrela que já brilhou muito no Real Madrid. Raymond #Kopa (85) anos, era francês, nasceu em (1931), filho de poloneses, trabalhou até em minas de carvão em sua cidade natal, (Noeux-les-Mines). De acordo com familiares, por volta de 8:15 da manhã (horário local) o ex jogador piorou de sua doença, a qual não foi revelada, já se encontrava internado desde o domingo. O craque já havia constatado que estava com mal de Alzheimer na década de 1990.

Início da carreira

No início de sua trajetória como jogador, aos 18 anos jogava pelo time amador de sua cidade e foi inscrito em um concurso promovido pela Federação Francesa de Futebol, no qual jogou até às semifinais, mas devido a sua estatura baixa e a dupla nacionalidade, ficou prejudicado diante dos jurados.

Publicidade
Publicidade

Ainda sim o craque se destacou chamando atenção do time Angers, o qual lhe ofereceu um contrato como jogador profissional.

Ao chegar, logo mostrou suas habilidades, rápido, destemido e assistências com bastante precisão, se destacou bastante por ser diferenciado. Após dois anos foi para no Reims, passando a disputar o campeonato francês, o qual ganhou em 1953 e 1955, sofrendo até injúria racial por pates da platéia da época.

Destaque

Na temporada de 1955/1956, Kopa estreou pelo Reims na primeira edição da Copa dos Campeões, chegando até a final e enfrentando nada a menos que o #Real Madrid, o time francês deu trabalho mas perdeu por 4x3. Para o craque, a carreira só decolou, ao ver as habilidades do jogador francês, o Real logo o contratou.

Mesmo tendo de mudar de posição com Alfredo Di Stéfano, o meia jogou muita bola, faturando dois campeonatos espanhol em 1957 e 1958, três Liga dos Campeões e pela grande atuação, ganhou o prêmio bola de ouro da revista #France Football, sendo o primeiro jogador francês da história a receber o prêmio.

Publicidade

Só nos anos 80 que outro francês viria ganhar o prêmio: Michel Platini.

Raymond Kopa voltou para o Reims e ainda conquistou mais dois Campeonatos Francês, depois, devido a um problema familiar, o atleta se despediu dos gramados em 1962, deixando para trás uma trajetória que marcou o futebol até hoje.