A diretoria do #Fluminense vem trabalhando firme nos bastidores para poder jogar no Maracanã no próximo dia 05 de abril, contra o Liverpool, do Uruguai, quando estreia na Copa Sul-Americana e tem grandes chances de atingir êxito nessa busca. Através de seu blog, Rodrigo Mattos publicou, nesta quinta, que, caso o Tricolor seja impedido de atuar no estádio, deverá receber uma multa de R$ 340 milhões da Odebrecht, concessionária responsável por administrar o palco das finais da Copa do Mundo de 2014 e dos torneios de futebol (masculino e feminino) das Olimpíadas de 2016.

Ainda segundo a postagem do jornalista do Uol, a Odebrecht, mediante contrato firmado em 2013, só poderia impedir qualquer partida do Fluminense em caso de manutenção do Maracanã.

Publicidade
Publicidade

Mesmo assim, o clube das Laranjeiras deveria ser avisado dessa impossibilidade com 30 dias de antecedência. Além disso, o estádio, nesse período, não poderia receber qualquer outro tipo de evento. A única exceção foi durante os últimos Jogos Olímpicos, quando o Maracanã esteve cedido ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

No segundo semestre de 2013, o Fluminense, ainda sob a gestão do presidente Peter Siemsen, firmou um acordo de 35 anos com a Odebrecht pelo Maracanã. Pelas regras desse contrato, o Tricolor receberia somente o total do que foi arrecadado pelas vendas dos ingressos dos setores Norte e Sul (atrás dos gols). Em contrapartida, não teria qualquer participação nos custos sobre o operacional do estádio.

O Flu não atua no Maracanã desde o feriado de 15 de novembro do ano passado.

Publicidade

Na ocasião, em partida daquele Campeonato Brasileiro, apesar da presença maciça de seu torcedor, a agremiação das Laranjeiras, com direito a pênalti perdido por Gustavo Scarpa praticamente no último lance, ficou no empate de 1 a 1 com o Atlético-PR.

Na ausência do Maracanã, o Fluminense vem utilizando, na maioria das vezes, o estádio Giulite Coutinho, em Édson Passos, distrito do Grande Rio, para exercer os seus mandos de campo. O Mário Helênio (Juiz de Fora), o Mané Garrincha (Brasília) e o Raulino de Oliveira (Volta Redonda) também são outras opções bastante frequentadas pelo clube carioca.

Após garantir presença na quarta fase da Copa do Brasil, graças à vitória de 3 a 2 sobre o Criciúma no Giulite Coutinho, o Fluminense foca as suas atenções na Taça Rio. Garantido nas semifinais do Campeonato Carioca por ter sido campeão da Taça Guanabara, o Tricolor encara, no domingo, novamente em Édson Passos, a partir das 16h (de Brasília), o Nova Iguaçu. #Mercado da bola #PaixãoPorFutebol