O Plenário do Conselho Jurisdicional declarou que o FC Porto está agora obrigado a pagar 600 mil euros ao rival Sporting, por uma dívida que o clube do norte de Portugal tinha depois da venda de João Moutinho. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, depois de vários anos lutando por uma indenização de 3,5 milhões de euros, o #Tribunal decidiu que, apesar do Sporting não ter razão, o clube tinha direito a receber uma percentagem da transferência de vinte e cinco milhões de João Moutinho, como estava no contrato assinado pelos dois times.

Publicidade

A saída de João Moutinho, tendo sido considerado uma “maça podre” pelo Presidente leonino, foi uma das mais faladas dos últimos anos no futebol português. Contudo, a maior polêmica foi quando o FC Porto decidiu vender o jogador português por vinte e cinco milhões, tendo decidido que não iria pagar os 25% que teria prometido oferecer ao rival, caso o atleta fosse vendido para o estrangeiro..

Publicidade

Como garante o site “Notícias ao Minuto”, o FC Porto, liderado pelo Presidente Pinto da Costa, considerou que o Sporting apenas merecia receber 1,7 milhão de euros, algo que não foi do agrado do clube rival, que rapidamente abriu um processo judicial. Agora, e passados vários anos desde a transferência, o Tribunal decidiu dar razão parcial ao Sporting que, depois de muitos recursos, não conseguiu os 3,5 milhões que pretendia, mas tem direito a receber uma verdadeira fortuna de indenização do clube rival, uma das maiores entres times da Liga portuguesa.

Nas redes sociais, muitos portugueses, sobretudo sportinguistas, garantem estar chocados e revoltados com a decisão da Comissão Arbitral, garantindo que quem conseguiu lucrar com toda essa situação foi precisamente o FC Porto, que, na opinião de muitos, não pagou aquilo que tinha acordado com o Sporting.

Publicidade

Apesar da enorme polêmica e impacto que essa decisão está tendo, as direções dos dois clubes ainda não comentaram publicamente o caso, que promete ser muito falado nos próximos dias em Portugal, tal como já aconteceu em indenizações semalhantes. #Negócios #Futebol Internacional