Hinode/Barueri e BRH-Sulflex/Clube Curitibano fizeram a final da Superliga B, na noite desta segunda-feira (11), e não houve novidades, no ginásio José Correa, em #Barueri, São Paulo. A equipe da casa, do técnico #José Roberto Guimarães, que não havia perdido uma partida no torneio, mostrou superioridade e derrotou as paranaenses por 3 sets a 0, com parciais 25/10, 25/11 e 25/20. Com o resultado, alcançou elite do voleibol brasileiro.

Durante a competição, foram oito vitórias e perdendo apenas dois sets. Já o adversário o Clube Curitibano perdeu todos os seis jogos que disputou na fase de classificação ficando em último colocado.

Publicidade
Publicidade

Mas nos playoffs o time liderado pelo campeão olímpico Jorge Édson conseguiu a reabilitação e venceu as quatro partidas, conseguindo chegar até a decisão.

“Foi uma sementinha plantada e que vimos crescer. Estamos muito felizes e, por amor ao voleibol, chegamos até aqui, além de o Zé Roberto ser um tricampeão. Agora vamos pensar na Superliga A na próxima temporada e podem esperar que vamos dar muito trabalho”, completou a campeã Érika Coimbra.

Com o apoio de cerca de 5 mil torcedores, o time da casa manteve a postura de toda Superliga B mostrando iniciativa desde o começo da partida e partiu para cima do Clube Curitibano e sem dificuldades fechou o primeiro set - 25/10.

Com 1 a 0 no o placar, o time de Barueri continuou pressionando e as paranaenses abusavam dos erros, que facilitou o segundo set, que terminou 25/11.

Publicidade

Já com o jogo praticamente dominado e 2 a 0 no placar, as paulistas continuaram forçando o saque e buscando o final da partida e o título e assim se desenhou os 3 sets a 0, com um Hinode/Barueri muito forte e jogadoras experientes contra um Clube Curitibano sem oferecer riscos.

A ponteira Suelle foi o destaque da partida com 14 pontos, junto com a oposta Sara. Um dos grandes destaques da partida foi a presença do bom público no ginásio com cerca de 5 mil pessoas que compareceram ao José Correa.

A Superliga B feminina 2017 teve a participação de sete clubes: Hinode/Barueri, BRH-Sulflex/Clube Curitibano, Abel Havan Brusque (SC), São Bernardo (SP), o São José dos Pinhais (PR), o ADC Bradesco (SP) e o ACV/UnoChapecó/Orbenck (SC).

Agora o Hinode/Barueri se junta as equipes da elite do voleibol brasileiro na Superliga A, que conta atualmente com 12 agremiações e está na fase semifinal, com Nestlé/Osasco já classificado e espera o confronto entre Campeonesa/Minas Tênis contra Rexona/Sesc, que acontece, nesta terça-feira (11), em Belo Horizonte. #SuperligaB