Disposta a passar uma nova imagem após a chegada de sua nova diretoria, a Conmebol anunciou as primeiras punições – de forma preventiva - aos envolvidos na batalha campal que se sucedeu após a vitória por 3 a 2 no #Palmeiras sobre o Peñarol, no Campeón del Siglo, em Montevidéu, na última quarta-feira (26), pela quarta rodada da Copa #Libertadores da América.

Um dos punidos é o volante #Felipe Melo, que foi perseguido por um jogador adversário e acabou acertando um soco no mesmo. Ele foi suspenso preventivamente por três partidas e ainda será julgado de forma definitiva pelo Tribunal Disciplinar, com sua pena podendo ser ampliada ou reduzida.

Publicidade
Publicidade

Mier, que é o jogador que persegue o brasileiro e depois levar o soco, também foi suspenso preventivamente por três jogos, assim como Lucas Hernández e Nántez, que nas imagens aparecem agredindo o goleiro Fernando Prass. Enquanto aguarda o julgamento definitivo, nenhum deles poderá atuar na competição.

Dessa forma, o Palmeiras não poderá contar com o volante na partida da próxima quarta-feira (3), contra o Jorge Wilstermann, na cidade de Cochabamba, na Bolívia. Sem chances de passar para as oitavas de final, mas ainda brigando por vaga na Sul-Americana o time uruguaio não terá de o trio de brigões no duelo de terça-feira (2), contra o Tucumán, na casa do adversário.

Essas partidas serão descontadas de uma eventual punição definitiva. Segundo o regulamento disciplinar da entidade, a pena mínima para casos de agressão é de três jogos.

Publicidade

Dessa forma, se não tiver sua pena agravada, Felipe Mello desfalcará o Verdão nas duas últimas rodadas da fase de grupos, além do jogo de ida das oitavas de final, fase que o time está praticamente classificado.

As duas equipes também foram denunciadas, no entanto, terão até a próxima sexta-feira (6), para apresentarem suas defesas.

Jornais uruguaios culpam time da casa

A imprensa uruguaia pegou pesado com o time local após as cenas de violência ocorridas após a partida contra o Palmeiras na última quarta-feira (26), não poupando críticas aos jogadores. O jornal "El Observador", por exemplo, fez uma lista de vários tumultos ocorridos no estádio Campeón del Siglo, mostrando falhas de segurança desde quando foi inaugurado.

Autoridades do país também teceram críticas. O Ministro do Interior, Eduardo Bonomi, afirmou que foram os jogadores uruguaios que iniciaram a briga e lembrou que a responsabilidade da segurança era dos organizadores do jogo.