Quem estava acostumado com as entrevistas ponderadas e calmas de #Eduardo Baptista, se surpreendeu e muito com a coletiva do técnico do #Palmeiras nesta quarta-feira, logo após a vitória do seu time por 3x2 sobre o Peñarol, fora de casa, em mais uma rodada da fase de grupos da Libertadores. O treinador falou grosso, bateu na mesa, se exaltou e chegou a dizer que era "homem para c....".

As críticas de Eduardo tinham um destino claro: Juca Kfouri. O jornalista postou durante a semana em seu blog, no UOL Esporte, que havia problemas de relacionamento no elenco e que o diretor de futebol Alexandre Mattos teria bancado a escalação de Róger Guedes contra a Ponte Preta.

Publicidade
Publicidade

Kfouri ainda chamou Baptista de "treinador maleável", o que irritou profundamente o profissional.

"Um cara que eu gosto muito, sou fã, escrever que sou maleável? Que o Róger Guedes jogou contra a Ponte Preta porque o Alexandre Mattos queria? Aí você está ofendendo o homem. Vocês me conhecem, sabem que sou um cara sério, conhecem minha família, o meu pai (Nelsinho, também treinador), isso eu não vou admitir", desabafou Eduardo Baptista.

Sobre a questão da escalação de Róger Guedes contra a Ponte Preta, Eduardo explicou aos jornalistas que Willian Bigode não havia treinado durante a semana e estava sem as melhores condições para atuar naquele momento. Nesta quarta-feira, o ex-atacante do Cruzeiro se destacou e fez dois gols no segundo tempo, comandando a importante vitória palmeirense sobre o rival do Uruguai.

Publicidade

Baptista também ironizou os programas esportivos que fazem enquetes para saber qual técnico vai ser demitido primeiro, se ele no Palmeiras, Rogério Ceni no São Paulo ou Fabio Carille no Corinthians. Por fim, ele garantiu que a partir de agora só vai falar de futebol com a imprensa, e não vai mais tocar em temas como a pressão no cargo de técnico do Palmeiras, por exemplo.

O jogo contra o Peñarol também foi marcado por muita confusão após o jogo. O sempre polêmico Felipe Melo, um dos alvos dos uruguaios, acabou acertando um soco no rosto do uruguaio Mier, que o perseguia em campo. Outros atletas como Fernando Prass e Willian Bigode também se envolveram na briga e apresentaram hematomas no rosto. Como o Palmeiras levou cerca de 20 seguranças para o Uruguai, a confusão foi amenizada e não teve maiores dificuldades.

Veja abaixo o grande desabafo de Eduardo Baptista na coletiva de imprensa no Uruguai, após a vitória diante do Peñarol.