Primeiro time fora da zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense, o Inter de Lages ganhou mais um grande problema antes de enfrentar o Avaí, pela última rodada do campeonato estadual. O goleiro Neto Volpi e o presidente do clube Cristopher Nunes, se envolveram em uma briga no início da madrugada desta quinta-feira (20), em um hotel que serve como concentração para o elenco. Esta é a segunda #Polêmica envolvendo atleta em menos de um mês.

A confusão começou ainda no final da noite de quarta-feira (19), quando o mandatário soube que o goleiro e outros três jogadores estavam em um bar e decidiu dispensar os quatro por conduta antiprofissional.

Publicidade
Publicidade

Ao retornar ao hotel, Neto teve um desentendimento com Cristopher, que – segundo disse o presidente – precisou ser contido.

De acordo com informações da Polícia Militar, o goleiro, além de outro funcionário do clube, também envolvido na confusão, teve ferimentos leves. Ele passou a noite no hospital e foi liberado pela manhã. O atleta disse que foi agredido pelo presidente com um taco de sinuca e também por outros funcionários do clube e registrou boletim de ocorrência por lesão corporal e passará por exame de corpo de delito. A versão do presidente é diferente e diz que Neto o ameaçou de morte, precisando ser contido por funcionários do time para que não partisse para a agressão.

Em nota, o Inter lamentou o ocorrido e disse que a instituição está acima de tudo. O treinamento do time que estava marcado para o período da manhã foi transferido para a tarde.

Publicidade

A equipe se despede do Campeonato #catarinense, neste domingo (23), jogando em casa, contra o Avaí, que já está classificado para a final contra a Chapecoense.

Outra polêmica

Não é a primeira vez que o goleiro Neto Volpi é notícia por conta de fatos ocorridos fora de campo. No início do mês, às vésperas do duelo frente ao Joinville pelo Campeonato Catarinense, o jogador foi aliciado por uma pessoa para sofrer dois gols na partida em troca de 15 mil reais. A proposta indecente, segundo o atleta, foi feita pelo presidente de um clube da segunda divisão.

Após a negativa do jogador, o aliciador encerrou o assunto e pediu para que Neto apagasse a conversa, feita por WhatsApp, porém, ele decidiu comunicar a direção do Inter. Curiosamente, foi o presidente Cristopher Nunes quem acompanhou o goleiro até a delegacia para o registro do boletim de ocorrência. Apesar da polêmica, Neto esteve em campo contra o Joinville, que venceu a partida por 3 a 1. O goleiro fez boas defesas e não teve culpa nos gols sofridos por sua equipe. #Briga