O segundo Majestoso das semifinais do Campeonato Paulista tinha tudo para ser um jogo marcado pelo "fair play", devido à admirável atitude do zagueiro Rodrigo Caio na primeira partida. Mas não foi isso o que foi visto na Arena #Corinthians.

O lateral-direito do Timão, #Fagner, após uma série de provocações com o atacante Tricolor, Cueva, perdeu a cabeça e, aproveitando um momento em que a arbitragem não estava atenta ao lance, desferiu uma joelhada na coxa de seu adversário (a popular paulistinha). Veja no vídeo:

O lance, apesar de não ter sido relatado na súmula pela arbitragem, teve as imagens flagradas pela transmissão da TV e pode ir parar nos tribunais do STJD.

Publicidade
Publicidade

Fagner, que vem sendo convocado por Tite na Seleção Brasileira, pode, se condenado, pegar algumas partidas de suspensão.

Fair play zero

E para corroborar que a atitude de Rodrigo Caio na primeira partida caiu no esquecimento dentro de campo no segundo e decisivo jogo, outros lances violentos aconteceram na partida.

No segundo tempo, Thiago Mendes e Guilherme Arana se estranharam após uma disputa de bola e o clima esquentou. Houve um princípio de confusão, mas que foi apartado pelos outros jogadores de ambas as equipes. Os dois receberam cartão amarelo. Mais tarde, por uma falta que impediria um contra-ataque corintiano, Thiago Mendes levou o segundo amarelo e acabou expulso da partida.

Wesley, atacante do Tricolor Paulista, também teve seus momentos de fúria na partida e fez diversas faltas violentas, mas recebeu somente o cartão amarelo.

Publicidade

Gol de Jô: faltou fair play?

O atacante Jô, um dos protagonistas do caso de "fair play" de Rodrigo Caio, teve papel decisivo na partida, pois fez o gol que abriu o placar para o Timão. Estava, porém, em posição duvidosa.

Na cobrança de falta, Jô estava visivelmente à frente da linha de zaga Tricolor, o que o colocaria em situação de impedimento. No entanto, no percurso da bola, teria havido um desvio de cabeça do atacante Lucas Pratto, o que de acordo com uma mudança na regra configura um novo lance e, como a bola teria vindo do adversário, anularia o impedimento.

Discussões de arbitragem à parte, a pergunta que muitos fazem é: Jô deveria assumir que estava em posição de impedimento, adotando a mesma postura de Rodrigo Caio? É outro tipo de lance, mas a polêmica segue a mesma. Será que o fair play em sua plenitude terá seu lugar de destaque no futebol? Isso é o que esperamos, mas ainda há muito o que evoluir nesse sentido.

Há boatos de que o próprio Rogério Ceni, técnico do São Paulo, teria repreendido Rodrigo Caio pelo feito no Morumbi. Apesar de o ex-goleiro artilheiro ter dito em público que aprovou a atitude de seu comandado, fica a duvida do que é ou não verdade, infelizmente. #Paulistão