O super clássico entre Real Madrid e Barcelona, no dia 23 de abril, terá o desfalque do craque Neymar, que foi suspenso por três partidas pelo Comitê da Competição da Liga Espanhola, nesta terça-feira, 11. Durante a partida entre Barcelona e Málaga no último sábado, dia 8, ocorreu um grande tumulto envolvendo o jogador brasileiro, após ele ter tomado o primeiro cartão amarelo por amarrar a chuteira na frente da bola onde o jogador adversário iria fazer uma cobrança de falta. Mesmo tendo conhecimento de que, pelas normas, é necessário que o jogador mantenha a distância de no mínimo 9 metros e 15 cm do adversário durante a cobrança de falta, Neymar não respeitou as regras.

Publicidade

Segundo a avaliação dos especialistas, o árbitro espanhol entendeu que o jogador utilizou-se deste artifício para retardar o jogo e atrapalhar o jogador da equipe adversária.

Publicidade

Já o segundo cartão amarelo foi indiscutível. Neymar não tinha mais a distância necessária para chegar à bola e chutar, e decidiu então se jogar sobre o corpo do adversário. A questão é se foi correto ele receber os dois cartões amarelos durante a partida. A polêmica gira em torno do excesso de rigor do árbitro em dar o primeiro cartão amarelo. Apesar de Neymar não ter respeitado a distância regulamentar, o jogador pode parar a qualquer momento durante a partida para amarrar as chuteiras.

Neymar também foi punido pelos aplausos para o árbitro

Com a derrota por 2 x 0 do Barcelona, Neymar, ao sair do gramado, em um gesto irônico aplaudiu o quarto árbitro, ato que demonstra desrespeito pelos membros da comissão de arbitragem. Este ato foi relatado na súmula e automaticamente aumentou a suspensão do craque, que foi punido em três jogos, incluindo com o Real Sociedad e Osasuna, no Camp Nou..

Publicidade

O Barcelona vai recorrer da suspensão aplicada ao jogador brasileiro expulso da 31ª jornada da liga. O atacante Neymar não havia levado nenhum cartão vermelho no Barcelona, e não era expulso desde a partida entre Brasil e Colômbia em 2015, pela Copa América.

Apesar desse momento de turbulência, Neymar briga pelo prêmio de melhor do mundo com os adversários Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. Craque é Craque. #Esporte #2017 #Futebol