O goleiro titular do #Boa Esporte, #Bruno Fernandes, pode retornar para a prisão a qualquer momento. É o que afirma o Procurador-Geral da República Rodrigo Janot, que encaminhou um novo parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) convocando a invalidação do habeas corpus concedido no segundo mês deste ano pelo ministro Marco Aurélio Mello ao atleta. O relator responsável pelo caso é o ministro Alexandre de Moraes, que confirmou que todo o caso vai ser analisado pela Primeira Turma do Tribunal e terá um parecer já na próxima terça-feira (25).

Pedido Negado

O Superior Tribunal de Justiça negou anteriormente um pedido de liberdade ao goleiro dias antes dele ser solto com a decisão do ministro Marco Aurélio Mello em fevereiro desse ano.

Publicidade
Publicidade

O Procurador-Geral da República Rodrigo Janot, tomou a frente da decisão e afirmou que não cabe apresentar habeas corpus contra decisão adotada por outro ministro de tribunal superior e agora quer que o goleiro volte à prisão.

STF

Primeiro a ocorrência estava nas mãos do ministro Teori Zavascki, que veio a falecer após sofrer um acidente aéreo em janeiro deste ano. A medida era de urgência, o que acabou forçando a presidente do STF, a ministra Cármen Lúcia, que encaminhasse todo o processo para o ministro Marco Aurélio Mello. Entretanto agora que Moraes preencheu a vaga de Teori, o caso foi totalmente para as mãos dele, assim como outros muitos processos do ministro Teori Zavascki. Além de Moraes e Mello, a Primeira Turma do STF conta ainda com Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Rosa Weber.

Publicidade

Agora todas as decisões sobre o caso será tomadas em conjunto e vence a maioria dos votos

O #Goleiro Bruno Fernandes foi condenado pelo tribunal do município de Contagem, no estado de Minas Gerais. Bruno recebeu a pena de 22 anos e três meses de prisão pela morte de Eliza Samudio, que na época ainda era amante do goleiro. Contudo, ainda não houve aprovação da condenação na segunda instância, o que acabou resultando no habeas corpus que garantiu que o goleiro protestasse em favor da sua liberdade. O goleiro Bruno ficou preso por apenas seis anos e sete meses.

Boa Esporte

A direção do time ainda não se manifestou sobre a notícia e não pretende tocar no assunto até que ocorra a decisão final do STF na próxima terça-feira (25). Já os torcedores do Boa Esporte se mostraram preocupados e através das redes sociais deixaram várias mensagens de apoio ao goleiro. Por outro lado, centenas de pessoas compartilharam a notícia com confiança de que a justiça seria feita e o goleiro retorne para a prisão para pagar pelo crime que cometeu.