O Palmeiras é o atual Campeão Brasileiro. Em 2016, o Verdão, que foi comandado por Cuca, manteve uma certa regularidade. Aliás para conquistar o título nacional é preciso ter uma certa consistência nos resultados.

No ano passado, Cuca recebeu o reforço de Tchê Tchê logo após o término do Campeonato Paulista. O volante entrou no time titular e não saiu mais. Junto com Moisés, o time deu liga e o meio campo funcionou.

Em 2017, as coisas são muito diferentes. Cuca não é mais o treinador, e Eduardo Baptista, que assumiu a posição de comandante, tem feito algumas alterações na equipe. Tchê Tchê hoje não é mais o primeiro volante.

Publicidade
Publicidade

Com a chegada de Felipe Melo, o ex-jogador do Audax virou segundo volante e está fora de posição.

A lesão de Moisés também pode ser uma das explicações para a queda brusca de rendimento de Tchê Tchê. Sem ter com quem compartilhar a posição, o jogador se vê sozinho e muitas vezes é desarmado.

Outra exigência feita pela diretoria, conselheiros e torcedores é sobre Miguel Borja. Contratado a peso de ouro, o atleta não convenceu ainda. Ele precisa de muitos chutes para concretizar em gol, e essa situação tem incomodado bastante. A Crefisa, junto com o #Palmeiras, bancou mais de R$ 30 milhões para finalizar o negócio.

Por duas vezes, Borja deixou o campo irritado ao ser substituído. A postura do colombiano não foi aprovada pela comissão técnica, que conversou de maneira reservada. Alexandre Mattos, executivo de #Futebol, não chegou a se envolver no assunto e deixou na mão do treinador.

Publicidade

As atuações fracas de Borja e Tchê Tchê caíram literalmente nas costas de Baptista. A derrota elástica para a Ponte Preta por 3 a 0 e a consequente eliminação do Campeonato Paulista também ligaram a 'luz vermelha' no clube. A Libertadores, que é a obsessão alviverde para 2017, ainda se mantém preservada: são sete pontos em três jogos e a manutenção da liderança no grupo.

O jogo contra o Peñarol nesta quarta-feira pode ser um divisor de águas. Se vencer e contar com alguns resultados, o Verdão garante a classificação para a segunda fase faltando duas rodadas (Jorge Willsterman fora de casa e Atlético Tucumán, em São Paulo). Se o resultado positivo não chegar, a pressão em cima do técnico será muito forte.

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, já garantiu que Baptista ficará até dezembro. O mandatário palmeirense confia no trabalho do treinador e acredita que ele ainda trará alegrias para o torcedor. #Copa Libertadores