O goleiro #Bruno Fernandes teve sua aventura futebolística barrada nesta terça-feira (25), quando completaria trinta dias que tinha ganhado liberdade da #Prisão após conseguir um habeas corpus e realizar sua reestreia nos campos de futebol pelo time do Boa Esporte Clube, no inicio deste mês.

A decisão foi do Supremo Tribunal Federal (#STF), que acabou com a liminar antes concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello. O goleiro tinha sido condenado a cumprir 22 anos e 3 meses pelo crime de mandante do homicídio da sua ex-amante Eliza Samudio, na época que era atuava como goleiro do Flamengo.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot foi o responsável por avaliar o parecer enviado ao STF e decidiu de imediato que o goleiro Bruno deve sim voltar para traz das grades enquanto o Tribunal de Justiça de Minas Gerais não realizar o julgamento oficial.

Publicidade
Publicidade

Rodrigo Janot afirmou que com a revogação do habeas corpus, o goleiro Bruno deve voltar à prisão nos próximos dias após a expedição de um novo mandado em que obrigará o goleiro a comparecer à Justiça.

O advogado do goleiro afirma que não há nenhum motivo pra pedir a novamente a prisão do jogador. “Bruno está hoje trabalhando honestamente, hoje ele convive com a sociedade sem oferecer perigo a ninguém, não teve problemas com ele desde o primeiro dia em que ganhou a liberdade. Lembro-me como hoje, quando o Bruno estava preso o STF nunca se preocupou em julga-lo, mas agora que o ele está em liberdade conseguiram acelerar as coisas”, afirmou o advogado.

A primeira turma do STF que tem a frente Alexandre de Moraes, o novo relator que tramitou junto aos ministros Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Marco Aurélio Mello que votaram em favor da derrubada da liminar.

Publicidade

O goleiro fechou contrato com o clube do Boa Esporte, 14 dias após ganhar liberdade da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado, onde estava preso preventivamente.

O goleiro teve sua estreia no dia 8 de abril deste ano e disputou apenas 5 jogos, teve um saldo de quatro gols sofridos pelo time da segunda divisão do Campeonato Mineiro.

A notícia ganhou destaque em milhares de sites e blogs em todo o Brasil como também nos principais meios de comunicação na televisão e rádio.

Foram inúmeras as pessoas que se expressaram nas redes sociais após determinação de volta do goleiro a prisão. “Enfim, o Supremo Tribunal Federal fazendo o que tem de ser feito: Justiça” comentou um internauta.