Um das coisas mais enraizadas em qualquer sociedade é o preconceito. Muitos acreditam que apenas muita educação e diálogo são capazes de romper com o preconceito. Em 2014, por exemplo, o goleiro Aranha, da Ponte Preta, acabou sendo vítima de racismo. Na ocasião, uma jovem o xingou de "macaco" diretamente da arquibancada. Anos depois, em uma partida contra o Palmeiras, o mesmo Aranha aparece em um polêmica sobre preconceito, mas agora ele é o acusado. Neste sábado, 22, ao realizar o jogo com o time paulista, um jornalista o questionou sobre a atual forma física do goleiro, que parece estar bem acima do peso.

O feitiço virou contra o feiticeiro

Aranha, que ajuda a Ponte Preta a ter um bom destaque no Paulistão afirmou que o seu peso nunca atrapalhou o time e acabou fazendo um comentário, visto como homofóbico nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

O goleiro chegou a insinuar que o jornalista que estava fazendo a pergunta fosse gay e disse que estava treinando com grande frequência. Ele disse que muitos jornalistas que cobrem o futebol gostam de homens que se mostram sarados e que exibam o seu corpo. Ainda no comentário que causou ele revela que sempre respeitou a opção sexual de todos, inclusive, de cada um dos jornalistas que o entrevista, mas que estava tranquilo diante do tema. O goleiro talvez não imaginara, mas a indireta causaria grande repercussão nas redes sociais.

Entrevista que acabou gerando polêmica

O caso virou matéria de uma reportagem publicada neste domingo, 23, pelo jornal 'Zero Hora'. O goleiro disse que, recentemente, esteve no Palmeiras, onde conheceu o setor de fisiologia e avaliou que esse é muito bom, fazendo um elogio ao time adversário.

Publicidade

Ele informou que não é mais jovem e nenhum garoto, mas que se considera em um padrão bom para quem joga o futebol, lembrando ao jornalista (que não foi identificado na reportagem do Zero Hora), que está há sete anos atuando em um grande time do futebol do Brasil.

Repercussão na internet e acusação de homofobia

Quando era goleiro do Santos, em 2014, em um clássico contra o Grêmio, o atleta foi alvo de racista. Agora é ele quem foi atacado pelo Twitter. O internauta Natanael Veiga escreveu, por exemplo, que o atleta da Ponte Preta, que foi vítima de racismo, agora se igualava, fazendo o mesmo em um comentário após uma simples partida de futebol. Ele não foi o único. O 'Zero Hora' seleciona outros comentários publicados no microblog de 140 caracteres, que são completamente contra à fala de um homem que mobilizou a opinião pública há três anos.

A jovem que chamou o goleiro de macaco chegou a dar depoimento na polícia e até pedir desculpas em público. Além disso, ela sofreu a pressão e até ameaças na época do episódio.

E você, o que pensa da atitude do atleta, será que ele não aprendeu durante o triste episódio em que foi a vítima, ou apenas falou tudo isso sem pensar? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas relevantes para toda a sociedade. #Crime