Dois dos maiores nomes do atual elenco do #Botafogo podem deixar o clube nos próximos meses sem render um único tostão ao clube. A diretoria alvinegra tem encontrado muitas dificuldades para renovar os vínculos do meia Camilo e do atacante Sassá e sobraram críticas do presidente do time até para a Lei Pelé.

A proposta feita pelo clube para a renovação do meia Camilo foi considerada baixa pelo empresário do atleta, que tem contrato até maio de 2018. No entanto, caso não feche um novo acordo, o jogador já poderá assinar um pré-contrato com outro clube a partir de novembro, o que faria o Botafogo ficar de mãos vazias quando ele saísse.

Publicidade
Publicidade

Por isso, o clube ainda tenta uma renovação e uma nova reunião deverá acontecer para que as partes finalmente cheguem a um acordo. Depois de uma temporada no futebol árabe, o jogador, com passagens por Cruzeiro, Atlético Mineiro, Chapecoense e alguns clubes do interior de São Paulo, chegou ao Glorioso durante a disputa do Campeonato Brasileiro do ano passado e foi uma das principais peças do time de Jair Ventura para a recuperação do time, que acabou conquistando uma vaga na Copa Libertadores da América.

Outro jogador que também está com sua situação complicada é o atacante Sassá, artilheiro da equipe no ano passado, com 14 gols, e goleador da atual temporada. O clube se assustou com a pedida feita por seu empresário, que pediu 300 mil mensais de salário além de 5 milhões de reais em luvas.

Publicidade

O vínculo do jogador com o clube termina no final do ano e caso não seja renovado, em julho ele já estará liberado para assinar um pré-contrato e assim deixar a equipe sem que ela receba nenhuma compensação. Os russos do Lokomotiv Moscou já haviam feito uma proposta de 5 milhões de reais no início do ano, mas a diretoria a rejeitou.

O impasse nas negociações deixou bastante decepcionado o presidente Carlos Eduardo Pereira. Durante a apresentação dos novos uniformes que serão usados a partir do Campeonato Brasileiro, ocorrido na noite deste sábado (6), o mandatário alvinegro lamentou a situação de Sassá e acredita o jogador e também seu empresário estão buscando forçar uma saída do clube. Ele lembrou ainda que o Botafogo estendeu as mãos para o jogador nos momentos difíceis, que o clube o abraçou e que agora essa proposta alta de renovação é coisa de quem quer deixar o clube.

O presidente criticou ainda a Lei Pelé. Segundo ele, a nova legislação tornou o empresário figura mais importante do que a do próprio jogador na relação com o clube. “Infelizmente, esse é o grande legado da Lei Pelé”, lamentou. #Lei Pelé #Brasileirão