Nesta quinta-feira (25), chegou ao fim a fase de grupos da Copa Libertadores da América, quando foram apontados os últimos classificados para as oitavas de finais e também os posicionamentos das equipes em cada chave. Os primeiros colocados de cada grupo terão o direito de fazer o jogo de volta em seu estádio.

No entanto, até o ano passado, a pontuação dos times também era usada para definir os cruzamentos da segunda fase. Assim o time com melhor pontuação dentre os primeiros colocados de cada chave pegaria o pior segundo colocado e assim por diante. Então era comum que assim que terminasse o último jogo, cada time já sabia quem seria seu próximo adversário e isso dava até margem para uma equipe “escolher” quem gostaria de enfrentar.

Publicidade
Publicidade

A partir deste ano tudo mudou, e agora, a exemplo do que é feito na Champions League, os confrontos serão definidos através de sorteio, marcado para o dia 14 de junho. Mas quais seriam os duelos caso o sistema de disputa não tivesse sido modificado? É o que vamos ver agora.

Time de melhor campanha dentre os primeiros colocados, o Atlético Mineiro teria uma parada dura pela frente. O Galo enfrentaria o Nacional do Uruguai, que ficou em segundo lugar do grupo 8 em razão da punição sofrida pela Chapecoense, que escalou um jogador suspenso na vitória contra o Lanús.

Muito em função desta mesma punição sofrida pelo time catarinense, o Lanús terminou a fase de grupos com a segunda melhor campanha dentre os primeiros colocados e teria pela frente, baseado no sistema antigo, o Jorge Wilstermann, segundo colocado da chave do #Palmeiras e que, inclusive, venceu o Verdão na Bolívia, jogo que provocou a demissão de Eduardo Baptista.

Publicidade

O Grêmio foi o terceiro melhor terceiro colocado e como “prêmio” jogaria na altitude, contra os também bolivianos do The Strongest. Talvez o brasileiro com vida mais complicada seria o Atlético Paranaense. Depois de se classificar na bacia das almas, o Furacão mediria forças com o tradicional River Plate e faria o segundo jogo na Argentina, por ter sido apenas o quinto melhor segundo colocado.

Com a quinta melhor campanha dentre os primeiros colocados, o Palmeiras brigaria por uma vaga nas quartas com o Barcelona de Guayaquil, uma das grandes surpresas ao avançar em um grupo que tinha o atual campeão Atlético Nacional e o tradicional Estudiantes, além do Botafogo. O clube equatoriano só não avançou em primeiro por causa de um gol a menos que o Botafogo no saldo.

Único invicto na competição, o Santos seria outro time brasileiro a viajar para o Equador e enfrentar novamente a altitude. Seu adversário, pelo sistema antigo, seria o Emelec. Já o Botafogo teria pela frente o Guarany do Paraguai.

Publicidade

O último confronto seria entre os argentinos San Lorenzo e Godoy Cruz, único duelo entre times do mesmo país.

As quartas de finais poderiam reservar dois confrontos entre brasileiros, casos eles avançassem, onde o Atlético Paranaense pegaria o Palmeiras e quem passasse poderia fazer uma das semifinais contra o Galo. Grêmio e Santos seria outro duelo brasileiro das quartas e o classificado poderia disputar uma vaga a decisão contra o Botafogo. #Atletico-MG #Libertadores