Se, dentro de campo, a #Chapecoense está com plenas chances de avançar para a segunda fase da Copa #Libertadores da América, fora dele seus dirigentes e advogados terão que ser bastante ágeis para manter o time na competição. Nesta quinta-feira (18), a Conmebol abriu investigação por conta da escalação de Luiz Otávio no jogo desta quarta, contra o #Lanús, que poderia ter sido feita de forma irregular. Dessa forma, a entidade que rege o futebol na América do Sul estipulou prazo até as 18 horas da próxima segunda-feira (22) para que o time catarinense apresente defesa.

O curto prazo tem uma razão. Como a rodada decisiva deste grupo será já na próxima semana, a entidade espera resolver o caso antes da bola rolar para que isso não influencie os jogos da chave, na qual todos os times alimentam chances de avançar as oitavas de final.

Publicidade
Publicidade

Instantes antes de entrar em campo, a Chapecoense foi informada de que o jogador havia sido julgado e condenado a três jogos de suspensão, além de multa.

O fato foi semelhante ao ocorrido uma semana antes, quando a Chape enfrentou o Atlético Nacional pelo segundo jogo da Recopa e, na última hora, foi avisada de que não pôde contar com o próprio Luiz Otávio e com o atacante Rossi, pois eles deveriam cumprir suspensão automática naquele jogo por conta da expulsão no jogo contra o Nacional.

Contra o Lanús, a comissão técnica ainda tentou fazer uma mudança nos jogadores relacionados, colocando Nathan de titular e mandando Fabrício Bruno, que estava indo para os camarotes, no banco de reservas, mas isso não foi permitido pela arbitragem, que alegou que a súmula já estava pronta. Então se decidiu colocar Luiz Otávio em campo.

Publicidade

A diretoria diz que não houve comunicação oficial que o atleta havia pegado pena maior do que suspensão automática cumprida contra os colombianos. A entrada do jogador provocou protestos por parte do time do Lanús.

Federação diz que notificou

Um fato pode complicar muito a situação da Chapecoense. A Federação Catarinense de Futebol, segundo matéria publicada no site da ESPN, disse que notificou a Chapecoense sobre a suspensão do jogador no dia 10 de maio. Já o diário Lance! publicou nesta quinta-feira (18), que a Conmebol enviou a notificação para a CBF também no dia 10.

Ao ser questionada pela reportagem, a diretoria da Chape disse que não localizou o e-mail e que ele pode ter ido para a caixa de spam. No entanto, os dirigentes alegam que a comunicação não deveria ter sido feita apenas por correio eletrônico, mas também por uma ligação telefônica.