O prêmio de Melhor Defensor da NBA é um dos mais imprevisíveis entre as honrarias da liga. Desde 2010, 49 jogadores foram votados para o primeiro lugar, número que cai para 17 na comparação ao prêmio de MVP.

Após um domínio dos pivôs, Kawhi Leonard conquistou o posto de melhor defensor nas últimas duas temporadas, porém, o jogador do San Antonio Spurs corre por fora na lista de favoritos na atual campanha.

Os favoritos

Draymond Green

Enquanto Kawhi Leonard saboreou a vitória em duas temporadas consecutivas, o ala-pivô Draymond Green ficou em segundo lugar em ambas as situações e ainda se viu derrotado na campanha 2014-15 apesar de ter mais votos para primeiro lugar que Leonard.

Publicidade
Publicidade

A contratação de Kevin Durant diminuiu a evolução ofensiva apresentada por Green no ano passado, mas permitiu um domínio defensivo jamais visto. Green teve suas melhores marcas em roubos de bola (1.4 – 12º lugar geral) e tocos (2.0 – 1º lugar geral) na carreira. Green também dominou nas estatísticas defensivas. Os adversários do Golden State Warriors arremessaram 16 vezes em média contra a marcação de Green, e acertaram apenas 39%. O jogador de 27 anos foi o único que ficou abaixo dos 40% entre os jogadores que marcaram 12 arremessos ou mais por partida.

Apesar de ficar abaixo dos pivôs Joel Embiid, LaMarcus Aldridge, Roy Hibbert, Dewayne Dedmon e Rudy Gobert, Green também teve grande impacto na área pintada. Os adversários tentaram cerca de sete arremessos contra o ala-pivô no garrafão e acertaram apenas 44%.

Publicidade

Draymond Green tem como vantagem sua versatilidade defensiva. Listado com 2,01 de altura e 104 quilos, o candidato a defensor do ano defende com eficiência todas as cinco posições, além de ter uma leitura única de cobertura e linha de passe. Vale lembrar a partida de dez roubos de bola do ala-pivô contra o Memphis Grizzlies.

Rudy Gobert

A “Torre Francesa” demorou uma temporada para mostrar seu real valor no Utah Jazz. Após ganhar a confiança do técnico Quin Snyder e da diretoria que negociou o titular Enes Kanter para liberar espaço, Gobert teve um 2015-16 prejudicado por lesões e problemas na rotação defensiva. Ainda assim o pivô teve 11 rebotes e 2.2 tocos de média. Podia melhorar? Sim, e muito.

O jogador de 2,16 de altura liderou a NBA na atual campanha com 2.6 tocos por partida, além de registrar 12.8 rebotes. Assim como Draymond Green, Gobert permitiu apenas 44% de aproveitamento para seus adversários quando marcados no garrafão, porém, o pivô sofreu dez tentativas por jogo, contra apenas sete de Green.

Publicidade

Fora da área pintada, foram mais cinco tentativas e o aproveitamento geral mantido na faixa de 43-44%. O bom retrospecto defensivo permaneceu apesar de o pivô marcar jogadores menores e mais rápidos após trocas defensivas.

O grande ponto para os defensores de Rudy Gobert é a oportunidade de premiar a melhor defesa da #NBA. O Utah Jazz sofreu apenas 96.8 pontos por jogo, marca que cairia em seis pontos a cada partida se Gobert atuasse os 48 minutos. Nenhum outro jogador impactaria mais a pontuação sofrida por seu time na temporada 2016-17.

Kawhi Leonard

Atual bicampeão, Leonard manteve seu alto crescimento ofensivo sob comando do técnico Gregg Popovich. Sua importância ofensiva na campanha 2016-17 e o fato dos dois títulos anteriores pesam contra o ala.

Nas estatísticas defensivas mais conhecidas, Leonard teve uma queda considerável em comparação aos desempenhos de 2015-16 e 2014-15, respectivamente: 1.8 roubos de bola contra 1.8 e 2.3; 0.7 tocos contra 1.0 e 0.8. Seus adversários alcançaram 45% de aproveitamento nos arremessos, porém, foram apenas nove arremessos contra Leonard por jogo. Traduzindo, Leonard defende o melhor jogador do perímetro adversário e tal fato força o técnico oponente a confiar nas outras peças ofensivas de seu time.

Kawhi foi sublime nos momentos decisivos. Principal ponto do ataque e marcador do melhor jogador do adversário, o jogador de 25 anos liderou ajudou o San Antonio Spurs a liderar a NBA em rating defensivo (pontos sofridos a cada 100 posses) durante o clutch time (períodos situados nos últimos cinco minutos do último quarto onde a diferença entre as equipes está no máximo em cinco pontos) com 94.4. Individualmente, Leonard registrou 92.5 no quesito.

O MVP das finais transformou seus ótimos números individuais em ótimos números coletivos e decisivos para a equipe do Spurs. Não existe um jogador que não se preocupe em enfrentar Leonard quando o jogo está para ser decidido.

Quase lá

Paul Millsap

O ala-pivô do Atlanta Hawks ficou em quinto lugar na votação da temporada passada e deve permanecer no Top 5 na atual campanha. Presente no grupo de oito jogadores com pelo menos 1.3 tocos e um roubo de bola por partida, Millsap alinhou-se perfeitamente ao lado de Dwight Howard na defesa. Com Howard protegendo o aro, Millsap mostrou toda a sua versatilidade para marcar jogadores no perímetro ou no post.

Andre Roberson

Apesar de não possuir qualquer cacoete para pontuar, Andre Roberson terminou a temporada com 30 minutos por partida graças aos seus esforços defensivos. O ala do Oklahoma City Thunder alcançou suas melhores marcas na temporada com 1.2 roubos de bola e um toco por jogo. Roberson melhorou a marca defensiva do Thunder em 2.6 pontos enquanto esteve em quadra e permitiu apenas 41% de aproveitamento dos adversários quando marcados por ele. #Esporte #Basquete