A terceira rodada foi fatal para os técnicos do Campeonato Brasileiro da Série B. Após Sérgio Soares ser demitido do Goiás, depois do empate em 1 a 1 contra o Brasil de Pelotas, neste domingo foi a vez do #Internacional confirmar a saída de Antônio Carlos Zago, após a derrota do Colorado por 1 a 0 para o Paysandu, resultado que deixou o time fora do G-4.

A demissão foi decidida após reunião com os dirigentes do clube neste domingo. Junto com Antônio Carlos, também deixam o Beira Rio o auxiliar Galeano e o preparador físico Carlos Pacheco. Agora os dirigentes correm atrás de um substituto, uma vez que o Inter terá na próxima quarta-feira (31), o jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Palmeiras e na sequência o duelo estadual contra o Juventude, no próximo sábado (3), pela quarta rodada da #Série B.

Publicidade
Publicidade

Levir Culpi, Marcelo Oliveira e Guto Ferreira são nomes cotados para assumir o posto.

O treinador já vinha sendo pressionado desde a derrota na final do campeonato estadual, nos pênaltis, para o Novo Hamburgo. Depois veio a estreia vitoriosa na Série B, um 3 a 0, fora de casa, sobre o Londrina, mas na sequência o time engatou três jogos sem vencer, que inclui derrota por 2 a 1 para o Palmeiras, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, empate em casa contra o ABC, pela Série B, e a derrota para o time do Norte neste sábado. Antônio Carlos ficou à frente do Inter por apenas 30 jogos.

Zago chegou ao clube no início do ano após ter feito bom trabalho com o Juventude, quando conseguiu levar o time de Caxias de volta à Série B. Nesse período teve 14 vitórias, 10 empates e 6 derrotas, sendo 2 nos últimos três compromissos.

Publicidade

Exterminador de técnicos

O Internacional tem, nos últimos tempos, se caracterizado pela alta rotatividade em seu banco de reservas. Somente em 2016, ano em que foi rebaixado para a Série B, o time passou pelas mãos de quatro treinadores. Começou a temporada sendo dirigido por Argel, que até teve um começo promissor de Brasileirão, mas foi demitido após queda de rendimento do time, mas ainda o deixando na nona posição.

Na sequência, a diretoria decidiu apostar no ídolo Falcão, mas sua passagem foi pífia e ele deixou o time após 5 jogos e sem nenhuma vitória. Ele sendo foi substituído por Celso Roth, que também não conseguiu sucesso e foi demitido após empate contra a Ponte Preta. Por fim, Lisca foi contatado pra as últimas três partidas, somando apenas 4 pontos, que não foram suficientes para livrar o tricampeão brasileiro da queda. #Dança dos Técnicos