Em uma postagem no Instagram, o meia Maxi Rodríguez, 26 anos, indicou que não ficará no #Grêmio após o encerramento do seu contrato, em dezembro de 2017. Mas parece que o jogador não está disposto a fazer parte de negociações que ajudem o clube gaúcho. A partir de junho, Maxi poderá assinar de graça com qualquer equipe, fazendo o Tricolor ficar sem retorno com o seu investimento.

A primeira negociação a que Maxi decidiu dizer "não" envolvia o seu próprio irmão: o atacante Gastón Rodríguez, que joga no Peñarol. No início de 2017, o clube gaúcho queria fazer uma troca envolvendo os irmãos. Maxi voltaria ao Uruguai, seu país de origem.

Publicidade
Publicidade

Vale lembrar ainda que o meia já jogou no Peñarol, ainda em 2016, emprestado pelo Grêmio. Na ocasião, foram 16 partidas e 4 gols.

O mais curioso da recusa da troca com o irmão é que, em 2016, Maxi usou o Twitter para anunciar alegremente a contratação de Gastón pelo Peñarol. O atacante, de 25 anos, acabou se tornando destaque da equipe. Na atual edição da Libertadores, marcou 4 gols e se mostrou uma das revelações do torneio continental.

O segundo negócio "arruinado" por Maxi Rodríguez foi mais recente. Com a lesão do lateral-esquerdo Marcelo Oliveira, o Grêmio tentou, junto ao Avaí, a prorrogação do empréstimo do jovem Lucas Lovat, de 20 anos. No entanto, os catarinenses queriam o meia uruguaio para fechar contrato. O Tricolor aceitou. Quando os dirigentes do Avaí entraram em contato com Maxi, ouviram um "não" como resposta.

Publicidade

O jogador teria dito que gostaria de continuar no Grêmio.

Após as recusas de jogar por outra equipe, Maxi acabou sendo rebaixado ao time de transição do Grêmio. É como se fosse um time B, onde o clube coloca os jogadores que estão quase preparados para jogar pelos profissionais. Pelo jeito, o uruguaio deve passar lá os seus últimos dias de Grêmio.

Os motivos de Maxi

O jogador nunca disse nada publicamente sobre os motivos que levaram às recusas e ao fato de querer permanecer no Grêmio, mesmo que já em final de contrato. O que pode ser afirmado é que o meia uruguaio nunca conseguiu jogar uma temporada completa no Grêmio.

Em 2013, quando chegou, já na metade do ano, fez 19 partidas e marcou 4 gols. No ano seguinte, novamente em meio semestre, fez 21 partidas e marcou 2 gols. O meia sempre foi elogiado pela torcida, mas sempre foi deixado de fora por opção dos técnicos que passaram pela equipe.

Na metade de 2014, o jogador começou o seu tour de empréstimos. Primeiro, conseguiu o acesso da Série B pelo Vasco. Logo depois, foi repassado ao Universidad do Chile, em 2015. Já em 2016, atuou no Peñarol. Parece que a paciência de Maxi esgotou-se. #Polêmica #Mercado da bola