A estreia de #Paulão pelo #Vasco encheu os vascaínos de esperança. Isso porque ele jogou firme, passou segurança, orientou o time e não cometeu falhas na vitória diante do Bahia, por 2 a 1, no último domingo (21). A chegada dele não foi das mais comemoradas pelos vascaínos, pois não acreditavam no potencial do defensor. Entretanto, a primeira partida mudou um pouco a impressão dos torcedores.

Diferente dos cruz-maltinos, quem nunca teve dúvida da qualidade de Paulão é o treinador do Fluminense Abel Braga, que comandou o jogador no Internacional. Em uma entrevista em março deste ano, para o Sábado Esporte, ele enalteceu o seu ex-atleta.

Publicidade
Publicidade

''O Paulão é rápido, joga com os dois pés e está entre os melhores do país. Ele erra às vezes por excesso de confiança'', disse.

Outro fato curioso deste mesmo programa, que contou com a participação de Abel, é que ele buscou a contratação de Paulão para o Tricolor, mas não conseguiu. Segundo ele, a transação acabou não rolando, por conta da falta de grana e do salário alto.

Paulão e Abel ganharam juntos o Campeonato Gaúcho de 2014, no período que trabalharam no Colorado. O técnico sempre deixou claro o quanto gostava dele. Quando participou do ''Bem Amigos'', em 2015, mesmo não trabalhando mais com o atleta, ele recordou de um golaço de bicicleta que marcou o zagueiro. ''Ele faz (gol assim no treino). Depois nós ficamos assistindo lá no vestiário, e no rachão ele joga de atacante. De repente ele fez até um gol histórico", falou.

Publicidade

Trajetória

Revelado pelo Serra Macaense do Rio de Janeiro, o zagueiro teve passagens pelo Universal, Asa, até chegar no Grêmio Barueri, no qual se destacou no Brasileirão de 2010, chamando atenção de Renato Gaúcho, que pediu sua contratação para o Grêmio. Pelo Tricolor, Paulão se destacou e foi vendido para uma equipe chinesa, ficando por lá até 2013, quando foi contratado pelo Cruzeiro. No clube mineiro, venceu o Campeonato Brasileiro. Depois acertou com o Internacional, onde esteve por três anos, até assinar com o Cruz-maltino, nesta temporada.

A concretização do negócio com o Vasco demorou bastante. Era um desejo do clube contar com o futebol dele, desde o início do ano, mas o Internacional não queria liberar seu jogador. O Gigante da Colina não desistiu de Paulão, e chegou um momento que o técnico do Colorado, Antônio Carlos Zago, percebeu que o melhor caminho era liberá-lo, para o zagueiro jogar mais.