Geuvânio está mais perto do Flamengo. Neste final de semana, o atacante, revelado pelas categorias de base do Santos, se despediu do Tianjin Quanjian da China e agora aguarda uma reunião decisiva com os dirigentes rubro-negros para acertar seu retorno ao futebol brasileiro. Ele deve ser emprestado ao time carioca por 18 meses, tendo metade de seu salário, que gira em torno de 1 milhão de reais, bancando pelo clube e a outra metade pelos chineses.

Em má fase dentro do Campeonato Brasileiro, onde tem apenas uma vitória em seis jogos, o #Flamengo tem pressa em acertar logo a contratação do jogador e espera fazer isso até a próxima sexta-feira (16), data limite estipulada pelos dirigentes.

Publicidade
Publicidade

Apesar do imediatismo exigido pelo clube, o negócio está bem avançado.

Um fator que pode complicar um pouco as conversas é a existência de uma cláusula contratual a qual dá preferencia de negociação ao Santos em caso de retorno do atleta para o Brasil e que a ida para outro time brasileiro dependeria de uma liberação do Peixe. A equipe paulista disse que ainda não foi informada sobre a proposta feita pelo Flamengo.

Desembarque tranquilo

Após empate em 1 a 1 contra o Avaí neste domingo (11), pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo não teve problemas em seu desembarque no Rio de Janeiro. Diferente do último sábado (10), quando um grupo de torcedores recepcionou os jogadores protestando contra a má fase da equipe, a chegada ao Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim foi tranquila.

Publicidade

Mesmo assim, se precavendo de algum tipo de problema, o clube disponibilizou oito seguranças.

Um dos jogadores mais experientes do grupo, o zagueiro Juan, creditou à tabela o momento difícil do time, analisando que os primeiros jogos foram bastante complicados e espera que a torcida apoie o time na Arena do Urubu, assim rebatizado o estádio da Portuguesa, onde o Rubro-Negro receberá a Ponte Preta na próxima quarta-feira. “Fomos mais prejudicados do que todos na tabela do começo do campeonato” disse o jogador, lembrando que a equipe fez quatro jogos como visitante e no clássico em que teve o mando, não pode jogar no estádio escolhido.

Outro que também falou no desembarque foi o goleiro Alex Muralha. O jogador, que perdeu a condição de titular após as falhas na partida contra o Sport, não se mostrou nada satisfeito pelo fato de ter ido parar no banco de reservas, mas afirmou respeitar a decisão do técnico. “Óbvio que sempre quero estar jogando, mas respeito a decisão do professor Zé Ricardo”, declarou. #Mercado da bola #Brasileirão