Se muitos atletas do Jiu Jitsu estão mudando para o #MMA, essa transição está de "molho" para Marcus Buchecha. O novo pentacampeão absoluto do Mundial de Jiu Jitsu, que ocorreu no início do mês de junho, em Long Beach, Califórnia, vem mostrando que a sua intenção é continuar por muito tempo suando o kimono. O atleta da equipe Checkmat tem feito história nas competições. Na famosa pirâmide nos Estados Unidos, venceu Leandro Lo na final do absoluto, sendo que também venceu no peso Gustavo Dias, conquistando a quinta medalha de ouro em absolutos.

Algo que faz o lutador ainda ficar nos tatames é o pagamento. Atualmente, as competições da arte suave têm oferecido aos campeões muito mais dinheiro do que há 22 anos atrás.

Publicidade
Publicidade

"Não tenho essa pressa para ir ao MMA, mas é algo que não descarto. Hoje o Jiu Jitsu está pagando muito mais nas competições, nos patrocinadores e também nos seminários, pois também sou professor, então por estes motivos quero continuar no tatame", diz Buchecha. O atleta tem certa moral com os lutadores do MMA. Não é à toa que já participou de treinamentos com Daniel Cormier e recebeu elogios pela postura que teve na sua #luta da semifinal pelo Mundial.

"O buchecha na luta contra o Erbeth mostrou que tem sangue nos olhos, não desiste fácil, o que é muito bom para um dia ir ao UFC. Ele também tem técnica e tem evoluído no jogo de wrestling", comentou Fabricio Werdum, lutador peso pesado do UFC e faixa preta de Jiu Jitsu. Mesmo elogiado, Buchecha não vê ainda motivos para aposentar o kimono e tem o calendário cheio até setembro.

Publicidade

"Ainda não apareceu nenhuma proposta que fizesse eu parar com o Jiu Jitsu e fosse para o MMA, mas claro que não descarto nada e se aparecer algo que seja interessante, por que não?" analisa o pentacampeão.

Cinco títulos

Ter cinco títulos no absoluto é algo novo para o Jiu Jitsu. Conquistado com muito suor, Marcus Buchecha, contudo, não pensa em recordes e quer apenas competir sem essa pressão. Se continuar competindo sem fazer a transição, é possível que alcance mais recordes. No momento, Buchecha está empatado no número de medalhas de ouro com Roger #Gracie – que já está no mundo do MMA e volta para os tatames dia 23 de julho – os dois tem 10 ouros. “Fazer as coisas pensando com determinação sem a pressão dos recordes é melhor para competir. Tenho 20 anos de Jiu Jitsu e o que conquistei muitos nem pensavam que seria possível. Antes o maior campeão em absolutos era de dois ou três”, diz Buchecha.

A próxima competição do campeão é no próximo dia 23 de Julho, no Rio de Janeiro, na Gracie Pro, onde por 15 minutos e com regras da IBJJF (Internacional Brazilian Jiu Jitsu Federation), lutará com Roger Gracie. Na última vez que se encontraram em 2012, houve um empate.