Receber um dinheiro inesperado é sempre bom. Quando se trata de futebol, a soma pode chegar a milhões de reais. É o caso do São Paulo. O Tricolor deve receber entre R$ 1,3 milhões e R$ 1,7 milhões pela venda do goleiro #Ederson, do Benfica, de Portugal, para o #Manchester City, da Inglaterra.

Solidariedade

Para os torcedores que não estão inteirados no assunto, a Fifa dispõe de um mecanismo de solidariedade para premiar os clubes formadores de jogadores. Para ter direito, o atleta precisa ter atuado no clube entre o seu 12º e 23º aniversário.

No caso de Ederson, o goleiro atuou nas divisões de base do São Paulo entre 2006 e 2009.

Publicidade
Publicidade

Por ser o formador do atleta, o clube paulista terá direito a uma quantia do valor pago pelo Manchester City ao Benfica.

O clube português anunciou a venda de Ederson por 40 milhões de euros, cerca de R$ 145 milhões. O São Paulo estuda receber entre 1,2% e 1,7% do valor total da venda. Ou seja, entre R$ 1,3 milhão e R$ 1,7 milhão.

Para isso, o clube paulista enviará toda a documentação necessária para a Confederação Brasileira de futebol (CBF) e deve receber uma reposta da entidade que rege o futebol no país em até 10 dias.

O dinheiro chegará em boa hora para o clube do Morumbi e pode ser usado para pagar parte da folha salarial do time ou para outros investimentos.

Ederson

O goleiro foi revelado pelo São Paulo, onde treinou dos 13 aos 15 anos, antes de se transferir para o Benfica. No clube português, o atleta terminou sua formação profissional até 2011.

Publicidade

Neste ano, foi emprestado ao Ribeirão, passou pelo Rio Ave, atuou no Benfica B em 2015 e chegou ao time principal do clube português em 2015. Disputou 59 partidas antes de ser negociado com o City.

Entre 2014 e 2016, o atleta disputou cinco partidas pela seleção brasileira sub-20. Na seleção principal, foi convocado para a disputa da Copa América Centenário, nos Estados Unidos, em 2016, sob o comando de Dunga.

Embora a venda do atleta renda dinheiro ao São Paulo, o clube do Morumbi gostaria mesmo é de contar com o atleta no gol. Atualmente, o elenco comandado por Rogério Ceni tem três goleiros.

Renan Ribeiro é o atual dono da camisa número 1, depois de ter mostrado serviço em algumas partidas. Denis, titular em 2016, saiu de cena depois de sucessivas falhas e perdeu muito espaço.

Outra opção para o gol é Sidão, goleiro contratado no início do ano para ser o titular da equipe, mas que não se firmou devido a atuações inseguras e contusão. #São Paulo FC