O #ABC, clube do Rio Grande do Norte, negociou nesta semana com o #Grêmio o jogador Jhonata, de 16 anos. O curioso da história é que nos últimos meses o ABC estava em negociação com o Internacional, maior rival do tricolor gaúcho. O acordo chegou a estar praticamente acertando, com a ida da joia para o colorado. Nos últimos dias, o Grêmio entrou no negócio oferecendo uma compensação mais vantajosa: o empréstimo de Lucas Coelho.

E não foi só o Internacional que ficou surpreso com a novidade na negociação. O próprio jogador e seu agente Diogo Silva, da empresa WebSoccer, falaram que não esperavam o interesse do tricolor em seu #Futebol.

Publicidade
Publicidade

"A negociação foi feita pelo presidente do clube, Judas Tadeu, sem consultar o jogador ou nós que cuidamos da carreira dele", disse o empresário.

O volante é uma grande promessa do clube do ABC. Mesmo com 16 anos, o atleta já está atuando pelos profissionais do clube e já disputou importantes partidas, como o jogo contra o São Paulo pela Copa do Brasil.

Lucas Coelho atualmente não está tendo chances no grupo principal do Grêmio. No início do ano, o atleta jogou uma partida pela Primeira Liga, mas logo voltou ao banco, já que o tricolor atualmente está muito bem servido de atacantes. Em maio, o clube gaúcho tentou trocar o atacante pelo lateral Lucas Lovat, do Avaí.

Nos últimos anos, o Grêmio realizou diversas contratações de jovens jogadores buscando "lapidar" o atleta para se tornar um grande profissional.

Publicidade

Foi assim com Luan, que hoje em dia é considerado por diversos jornalistas como o melhor jogador atuando no Campeonato Brasileiro. Outros jogadores também foram contratados com menos de 18 anos e passaram por essa fase no clube gaúcho: Alex Telles (Porto), Wendell (Bayer Leverkusen), Walace (saiu neste ano para o Hamburgo), Pedro Rocha, Everton, Guilherme (Botafogo), Lincoln, Rafael Thyere, entre outros. Neste ano, o Grêmio contratou Martin Chavez, também de 16 anos, que era uma grande promessa do Peñarol.

O Projeto Lapidar foi implementado por Júnior Chávare, que deixou o Grêmio em 2016, indo para o São Paulo. Hoje em dia, faz parte da K2 Soccer. Na época que começou o projeto, o profissional ressaltou a importância do novo trabalho. “O Projeto Lapidar é um dos grandes legados que estamos implementando. Vamos investir na qualificação dos nossos atletas, fazendo um aprimoramento das suas virtudes. Os resultados serão vistos no momento em que estes meninos ascenderem ao grupo profissional”, frisou Júnior, em 2013.