O volante marfinense Cheick Tioté, de 30 anos, morreu nesta segunda-feira (5) [VIDEO], após passar mal durante os treinos de sua equipe, o Beijing Enterprises, time da segunda divisão chinesa. Vitimado por um ataque cardíaco, o atleta foi encaminhado para o hospital, mas não resistiu. Ele havia jogando as duas últimas Copas do Mundo pela Seleção da #Costa do Marfim.

Segundo o clube chinês, o jogador teve uma perda repentina de consciência durante os treinos por volta das 18 horas, no horário local. Uma hora depois, já no hospital, foi declarado morto. Ele, que faria aniversário no próximo dia 21, havia chegado ao clube em fevereiro, vindo do Newcastle.

Publicidade
Publicidade

Na Copa de 2010, disputada na África do Sul, Tioté enfrentou o Brasil na segunda rodada da fase de grupos, quando o time comandado por Dunga venceu por 3 a 1. Aos 30 minutos do segundo tempo, ele deu uma entrada dura no brasileiro Elano, que precisou ser substituído e perdeu o resto da competição.

Naquela #Copa do Mundo, a Costa do Marfim empatou com Portugal na estreia em 0 a 0, perdeu para o Brasil por 3 a 1 e venceu a Coréia do Norte por 3 a 0, ficando na terceira posição de seu grupo. Em 2014 a equipe venceu o Japão na estreia por 2 a 1, perdeu para a Colômbia pelo mesmo placar e no jogo que decidiria sua classificação, sofreu nova derrota, para a Grécia, também por 2 a 1. O jogador foi titular em todas as seis partidas.

O jogador começou a carreira atuando no Anderlecht da Bélgica, depois foi para o futebol holandês, onde atuou pelo Twente e defendeu por sete temporadas o Newcastle da Inglaterra.

Publicidade

O clube, inclusive, postou uma mensagem de condolências em suas redes sociais. Pelo time, ele jogou 153 partidas, marcando um gol, porém de sua importância, no histórico empate em 4 a 4 diante do Arsenal, quando o time chegou a estar perdendo de 4 a 0. Já pela seleção de seu país, foram 52 partidas e também um gol anotado. Ao todo, marcou cinco gols na carreira. Em 2015, foi campeão da Copa Africana de Nações.

Outro caso

Tioté não é o primeiro jogador africano a morrer após treinamento neste ano. Em abril, o também marfinense, mas naturalizado gabonês, Moise Bou Apanga, então com 35 anos, morreu após o treino de sua equipe, o Futebol Canon 105 de Libreville. O jogador teve passagem por clubes menores da Itália e da França.

Também em fevereiro, o ex-jogador da Seleção da Inglaterra, de 44 anos, e então treinador do time sub 23 do Tottenham, Ugo Ehiogu, morreu menos de 24 horas depois de sofrer uma parada cardíaca no campo de treino. #Seleção Brasileira