Mesmo ainda não tendo completado 30 dias no cargo e sem sofrer derrotas no comando do time, o técnico Guto Ferreira já está sofrendo pressão no #Internacional.

Contratado para substituir Antônio Carlos Zago, o treinador acumula duas vitórias e quatro empates, porém, a sequência de três jogos sem triunfar e o fato do Colorado se encontrar fora da zona de classificação no Campeonato Brasileiro da Série Btem rendido críticas ao seu trabalho.

Nesta terça-feira (20), após um sofrível empate sem gols diante do Paraná Clube, no Beira Rio, a torcida vaiou os jogadores, arremessou cadeiras no campo e protestou contra os dirigentes, que questionados sobre a situação do treinador são categóricos ao afirmar que “não há espaço para mudança”.

Publicidade
Publicidade

O vice de futebol Roberto Melo disse que as mudanças na comissão técnica foram efetuadas por eles entenderam que eram necessárias e defendeu o trabalho da atual comissão, afirmando que eles ainda não tiveram tempo para efetuar as mudanças necessárias. “É com essa comissão que vamos melhorar e vamos fazer um grande esforço para qualificar o time onde temos carências”, assegurou o dirigente.

Mas de acordo com reportagem publicada pelo site UOL Esporte, a situação do treinador não é tão cômoda assim e já existe um movimento forte que trabalha por sua demissão, além de outro fato que pesa contra. Em situações complicadas é comum jogadores saírem em defesa do treinador, porém nem isto vem acontecendo, como foi visto ao final da partida contra o time paranaense.

Ceará não gostou da forma como foi tratado na partida e D´Alessandro, um dos principais líderes do grupo, afirmou ter uma opinião, mas prefere não torná-la pública.

Publicidade

A declaração dada após o jogo da semana passada, contra o América Mineiro talvez explique essa falta de respaldo do elenco. Na ocasião, o treinador teria dito que dentro de campo quem erra e acerta são os jogadores e não ele.

Financeiramente a demissão de Guto Ferreira significaria um desastre total, uma vez que o clube precisou arcar com a rescisão do antigo treinador, e pagou 500 mil reais pela sua liberação junto ao Bahia, seu clube anterior, e ainda teria que arcar novamente com outra rescisão.

Com os mesmos 14 pontos que o Goiás, quarto colocado, mas em sexto lugar pelos critérios de desempate, o Internacional fará três jogos em sequência no Rio Grande do Sul. No sábado (24) vai até o estádio Bento de Freitas encarar o Brasil de Pelotas. Na sequência, receberá no Beira Rio Esporte e Criciúma, times que estão na parte de baixo da tabela e brigam contra o rebaixamento. #Série B #Dança dos Técnicos